O atendimento da crise nos diversos componentes da rede de atenção psicossocial em Natal/RN

Magda Dimenstein, Ana Karenina Arraes Amorim, Jader Leite, Kamila Siqueira, Viktor Gruska, Clarisse Vieira, Cecília Brito, Ianny Medeiros, Maria Clara Bezerril

Resumo


O atendimento da crise é um dos problemas mais evidentes e de difícil manejo na atualidade. Além disso, é um dos eixos estratégicos e pilar de sustentação da reforma psiquiátrica. Em função disso realizamos uma investigação com o objetivo conhecer a configuração, funcionamento e modos de acolhimento na RAPS de Natal-RN. Entrevistamos 137 profissionais e gestores vinculados aos CAPS, SAMU, UPAs, Hospitais Gerais e Hospital Psiquiátrico. Identificamos diversos pontos de estrangulamento: número limitado de serviços que acolhem urgências; falta de comunicação entre equipes dos diferentes componentes; ausência de matriciamento com a atenção primária e de leitos de atenção integral nos hospitais gerais. Consideramos que o município apresenta capacidade limitada de responder às situações de crise e demandas emergenciais, a qual depende de uma boa articulação entre os componentes da RAPS e destes com os demais serviços de saúde, especialmente de urgência e emergência, da presença efetiva de leitos de atenção integral, além de integração eficaz com a rede de suporte social.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2238-152X.40323

logogoogle
Scientific Electronic Library Online     

           

 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

 

ISSN eletrônico: 2238-152X