Infâncias Diante do Racismo: teses para um bom combate

Autores

Palavras-chave:

Infâncias, Racismo, Adultidade, Mais-Valia de Vida.

Resumo

Este artigo discute brevemente a infância como noção, categoria e conceito. Vamos problematizar o racismo e as formulações que associam África à infância da humanidade. O objetivo é enfrentar a adultidade como o grande perigo da vida. O texto traz resultados de pesquisas de campo realizadas em 2016 e 2017 e uma análise do filme Cores e Botas (2010); nas duas situações, crianças negras se deparam com desafios sociorraciais. A partir de diálogos com diversos autores e autoras, tais como Mbembe, Oyewumi e Bispo dos Santos, propomos teses infantis de superação do racismo, para que a mais-valia de vida seja uma afirmação da infância como modo de colocar o desejo além da falta e das armadilhas da mercadoria.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Renato Noguera, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), Nova Iguaçu/RJ

Renato Noguera é doutor em Filosofia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, professor do Programa de Pós-Graduação em Educação, Contextos Contemporâneos e Demandas Populares, do Programa de Pós-Graduação em Filosofia e do Departamento de Educação e Sociedade da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. 

Luciana Pires Alves, Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), Duque de Caxias/RJ

Luciana Pires Alves é doutora em educação pela Universidade Federal Fluminense e professora pesquisadora na educação básica do Município de Duque de Caxias e no ensino superior da Universidade do Estado do Rio de Janeiro. 

Publicado

2019-07-26

Como Citar

Noguera, R., & Alves, L. P. (2019). Infâncias Diante do Racismo: teses para um bom combate. Educação &Amp; Realidade, 44(2). Recuperado de https://seer.ufrgs.br/index.php/educacaoerealidade/article/view/88362

Edição

Seção

Infâncias e Educação das Relações Étnico-Raciais