Uma ideia de pesquisa que faz a língua educacional gaguejar: pesquisa-docência da diferença contra o mito das castas

Autores

Palavras-chave:

Sandra Corazza, Pesquisa-Docência da Diferença, Escrita -Esquizo, Deleuze, Guattari

Resumo

O artigo ocupa-se da primeira condição para a criação e atualização da ideia de pesquisa-docência da diferença inventada por Sandra Corazza, com a qual ela se insurgiu frente ao consenso nacional de que pesquisa só se faz na pós-graduação – gênese do mito que divide a educação em duas castas: de um lado, estão os raros intelectuais que pesquisam e, de outro, concentra-se uma grande massa de professores que somente ensinam. Este texto defende, mostra e exemplifica que a invenção da ideia de pesquisa-docência teve como condição uma relação específica com a língua pedagógica: fazê-la gaguejar, ao inserir nela o procedimento de escrita-esquizo, cujo resultado foi a produção de efeitos dissonantes ao consenso e à ampliação das fronteiras da língua.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ester Maria Dreher Heuser, UNIOESTE

Ester Maria Dreher Heuser é professora de Filosofia na Universidade Estadual do Oeste do Paraná. Seu doutorado, em Educação, foi realizado pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Publicado

2022-10-18

Como Citar

Heuser, E. M. D. (2022). Uma ideia de pesquisa que faz a língua educacional gaguejar: pesquisa-docência da diferença contra o mito das castas. Educação &Amp; Realidade, 47. Recuperado de https://seer.ufrgs.br/index.php/educacaoerealidade/article/view/124423

Edição

Seção

Sandra Mara Corazza: uma vida...