Comparação entre necessidade e disponibilidade de vento e radiação solar para fins de análise bioclimática de edificações em Florianópolis

Autores

  • Carolina Cannella Peña Universidade Federal de Santa Catarina
  • Enedir Ghisi Universidade Federal de Santa Catarina
  • Cláudia Donald Pereira Universidade Federal de Santa Catarina

Palavras-chave:

ventilação natural, radiação solar, bioclimatologia

Resumo

Carolina Cannella Peña

Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil

Universidade Federal de Santa Catarina

Caixa Postal 476

Florianópolis – SC – Brasil

CEP 88040-900

Tel.: (48) 3269-9580

E-mail: cannella@labtrans.ufsc.br

 

 

Enedir Ghisi

Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil

Universidade Federal de Santa Catarina

Tel.: (48) 3721-5536

 E-mail: enedir@labeee.ufsc.br

 

 

Cláudia Donald Pereira Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil

Universidade Federal de Santa Catarina

Tel.: (48) 3721-5184

E-mail: claudia@labeee.ufsc.br

 

 

Recebido em 13/08/08

Aceito em 02/12/08

  As estratégias mais indicadas para amenizar o desconforto gerado pelo calor e pelo frio em Florianópolis são, respectivamente, a ventilação natural e o aquecimento solar. Portanto, o objetivo deste trabalho é avaliar a disponibilidade das variáveis climáticas vento e radiação solar em ambientes submetidos ao clima de Florianópolis, pois as estratégias de ventilação e aquecimento solar somente serão eficientes com a presença da variável no local. Foram analisadas as estratégias bioclimáticas apresentadas por Baruch Givoni para o clima do local de estudo nos 3 meses mais quentes e nos 3 mais frios de 2006, através do programa computacional Analysis BIO. Tais estratégias foram confrontadas com a presença das variáveis naturais vento e sol, avaliando a viabilidade de sua aplicação. Constatou-se que, para os meses mais quentes, 74% das horas que indicavam a necessidade de ventilação apresentaram disponibilidade da variável vento. No entanto, nos meses mais frios, apenas 35% das horas em que o aquecimento solar era necessário tinham disponibilidade de sol. Conclui-se, portanto, que o projetista de edificações deveria verificar se há disponibilidade de ventilação natural e radiação solar quando indicadas como necessárias em análises bioclimáticas, pois outras estratégias devem ser consideradas para suprir a sua eventual ausência.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carolina Cannella Peña, Universidade Federal de Santa Catarina

Engenheira civil, mestranda do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil (PPGEC), Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

Enedir Ghisi, Universidade Federal de Santa Catarina

Engenheiro civil, PhD em Eng. Civil (University of Leeds), professor adjunto, Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil (PPGEC), Laboratório de Eficiência Energética em Edificações (LabEEE), Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

Cláudia Donald Pereira, Universidade Federal de Santa Catarina

Arquiteta, mestranda do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil (PPGEC), Laboratório de Eficiência Energética em Edificações (LabEEE), Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

Downloads

Publicado

2008-12-04

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

> >>