SÍNDROME DE BURNOUT: UM ESTUDO COM PROFESSORES DE EDUCAÇÃO FÍSICA

Autores

  • Edilene Cunha Sinott Prefeitura Municipal de Pelotas
  • Mariângela da Rosa Afonso Universidade Federal de Pelotas - Escola Superior de Educação Física (ESEF/UFPEL)
  • José Antonio Bicca Ribeiro Universidade Federal de Pelotas - Escola Superior de Educação Física (ESEF/UFPEL)
  • Gelcemar Oliveira Farias Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC)

DOI:

https://doi.org/10.22456/1982-8918.43226

Palavras-chave:

Síndrome de Burnout. Professores. Educação Física.

Resumo

A docência tem, como atributo, o contato direto e intenso com pessoas, característica favorável ao desenvolvimento da Síndrome de Burnout. Este estudo descritivo tem por objetivo verificar a presença dessa síndrome nos professores de Educação Física das escolas municipais da cidade de Pelotas/RS. Os dados revelam que 60,6% dos professores estavam com alta exaustão emocional; 22,3% com alta despersonalização; 34,0% com baixa realização profissional. Os índices sinalizam a presença da síndrome em 8,5% deles. Os resultados indicam a eminência da atenção dos gestores para a implementação e o cumprimento de políticas públicas na prevenção de doenças que acometem professores.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Edilene Cunha Sinott, Prefeitura Municipal de Pelotas

Mestre em Educação Física pelo Programa de Pós-Graduação da ESEF/UFPEL e professora da rede municipal de Pelotas, RS, Brasil.

Mariângela da Rosa Afonso, Universidade Federal de Pelotas - Escola Superior de Educação Física (ESEF/UFPEL)

Professora do Programa de Pós-Graduação em Educação Física da ESEF/UFPEL - Pelotas, RS, Brasil.

José Antonio Bicca Ribeiro, Universidade Federal de Pelotas - Escola Superior de Educação Física (ESEF/UFPEL)

Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Educação Física da ESEF/UFPEL - Pelotas, RS, Brasil. Bolsista CAPES.

Gelcemar Oliveira Farias, Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC)

Professora da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC) Florianópolis, SC, Brasil.

Publicado

2014-02-19

Como Citar

SINOTT, E. C.; AFONSO, M. da R.; RIBEIRO, J. A. B.; FARIAS, G. O. SÍNDROME DE BURNOUT: UM ESTUDO COM PROFESSORES DE EDUCAÇÃO FÍSICA. Movimento, [S. l.], v. 20, n. 2, p. 519–539, 2014. DOI: 10.22456/1982-8918.43226. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/Movimento/article/view/43226. Acesso em: 1 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos Originais