CULTURAS, POLÍTICAS E PRÁTICAS DE INCLUSÃO NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES EM EDUCAÇÃO FÍSICA: ANALISANDO AS EMENTAS

Autores

  • Michele Pereira de Souza da Fonseca UFRJ
  • Mônica Pereira dos Santos UFRJ

DOI:

https://doi.org/10.22456/1982-8918.15101

Palavras-chave:

Educação física, educação. Currículo. Equidade

Resumo

O presente artigo tem como objetivo analisar as ementas das disciplinas obrigatórias que compõe o currículo dos licenciandos do curso de Educação Física da UFRJ, observando se e como a Inclusão é tratada durante sua formação. Para este fim, utilizamos como referencial de análise e discussão a estrutura conceitual sobre Inclusão, compreendida em três dimensões: a construção de culturas, o desenvolvimento de políticas e a orquestração de práticas inclusivas.No que tange a metodologia, realizamos a análise documental; dessa forma, pesquisamos as ementas de todas as 37 disciplinas obrigatórias que compõe o currículo dos licenciandos em Educação Física da Instituição pesquisada, e para a análise dos dados obtidos, utilizamos o método de Análise de Conteúdo. Nesse quadro geral da análise das ementas, observamos que os temas relativos à dimensão da orquestração de práticas inclusivas se apresentam em maior número (36,36%). Muito emparelhados surgem os temas relativos à dimensão da criação de culturas inclusivas (29,70%) e à dimensão biológica (28,48%), e apenas 5,46%  remetem a questões da dimensão do desenvolvimento de políticas inclusivas. Percebemos, então, que há uma enorme ênfase nas práticas, e grande preocupação com as questões físico-corporais e biológicas, em detrimento de um cunho político, fundamental para orientar uma formação crítica e reflexiva.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Michele Pereira de Souza da Fonseca, UFRJ

Doutora em Educação (PPGE/UFRJ), Mestre em Educação (PPGE/UFRJ), Licenciada em Educação Física (EEFD/UFRJ). Professora adjunta da Escola de Educação Física e Desportos da Universidade Federal do Rio de Janeiro (EEFD-UFRJ). Coordenadora de Extensão da EEFD-UFRJ. Fundadora e Coordenadora do LEPIDEFE - Laboratório de Estudos e Pesquisas sobre Inclusão e Diferenças na Educação Física Escolar (EEFD-UFRJ). Coordenadora da Pós-Graduação gratuita em Educação Física Escolar na Perspectiva Inclusiva (UFRJ). Membro do Comitê Científico GTT Inclusão e Diferenças do Colégio Brasileiro de Ciências do Esporte (CBCE). Tem experiência na área de Educação Física escolar, formação docente e inclusão em educação.

Mônica Pereira dos Santos, UFRJ

Professora Associada da Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Possui graduação em Psicologia, Mestrado e PhD em Psicologia e Educação Especial pela Universidade de Londres. Tem atuado como parecerista ad hoc em várias agências financiadoras de pesquisa, além de ser membro efetivo de importantes Associações nacionais e internacionais, como por exemplo, a Associação Nacional de Pesquisadores em Educação (ANPEd), Associação Nacional de Direitos Humanos Pesquisa e Pós-Graduação (ANDHEP), Associação Brasileira de Psicologia Social (ABRAPSO), Association pour la Recherche InterCulturelle (ARIC), e Associação Brasileira de Pesquisadores em Educação Especial (ABPEE). Atualmente, é coordenadora do Observatório Estadual de Educação Especial (OEERJ), diretamente vinculado ao Observatório Nacional (ONEESP) e do Observatório Internacional de Inclusão, Interculturalidade e Inovação Pedagógica (OIIIIPe), que congrega mais de 25 Universidades, brasileiras e estrangeiras. Preside a Comissão Executiva do Fórum Permanente UFRJ Acessível e Inclusiva, e Coordena o Comitê de Ética em Pesquisa do Centro de Filosofia e Ciências Humanas da UFRJ. É Diretora da Diretoria de Acessibilidade da UFRJ. Autora de três livros sobre inclusão em Educação e publicou vários artigos sobre a temática.

Downloads

Publicado

2011-03-26

Como Citar

PEREIRA DE SOUZA DA FONSECA, M.; PEREIRA DOS SANTOS, M. CULTURAS, POLÍTICAS E PRÁTICAS DE INCLUSÃO NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES EM EDUCAÇÃO FÍSICA: ANALISANDO AS EMENTAS. Movimento, [S. l.], v. 17, n. 1, p. 95–116, 2011. DOI: 10.22456/1982-8918.15101. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/Movimento/article/view/15101. Acesso em: 26 jan. 2023.

Edição

Seção

Artigos Originais