Tornando-se um praticante de CrossFit

gerenciamentos do corpo dentro e fora dos boxes

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22456/1982-8918.116972

Palavras-chave:

Treinamento físico, Educação Física, Aspectos culturais, Exercício

Resumo

Inspirado pela Fase Ética do pensamento de Foucault, consideram-se as experiências no CrossFit como formas de gerenciamentos do corpo que se atrelam fundamentalmente ao culto do eu. Assim, o objetivo desta pesquisa foi analisar e discutir aspectos que tornam os sujeitos efetivamente praticantes de CrossFit e como os seus gerenciamentos do corpo, dentro e fora dos boxes, se relacionam à modalidade. Foram realizadas observações não estruturadas de aulas e entrevista semiestruturada com 12 praticantes, em diferentes boxes da zona norte, na cidade do Rio de Janeiro. Os resultados indicaram que a superação e o estímulo entre os praticantes constituem-se como os principais processos de subjetivação identitária desse grupo. Detectou-se também que os contínuos regimes ou investimentos de autoaprimoramento nos boxes marcavam um estilo de vida regrado e padronizado responsável por internalizar determinadas maneiras de estar no mundo e que afetavam sobremaneira o modo de viver.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alan Camargo Silva, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Possui graduação em Licenciatura Plena em Educação Física pela UFRJ (2006), Especialização Lato sensu em Exercício Físico Aplicado à Reabilitação Cardíaca e a Grupos Especiais pela UGF (2009), Mestrado em Educação Física (2010), Doutorado em Saúde Coletiva (2014) e Pós-Doutorado em Educação Física pela UFRJ (2018). Pesquisador do Núcleo de Estudos Sociocorporais e Pedagógicos em Educação Física e Esportes, do Grupo de Pesquisa em Esporte, Corpo e Sociedade e do Grupo de Pesquisa Abordagens Sociológicas dos Processos de Saúde-Doença da UFRJ. Professor do curso de Pós-graduação Lato sensu em Desportos de Campo e de Quadra e do curso Saberes e Práticas na Educação Básica com Ênfase em Educação Física Escolar na UFRJ. Foi Professor externo do curso de Pós-graduação Stricto sensu em Educação Física na Escola de Educação Física e Desportos da UFRJ. Atua também como Docente de Educação Física nas Redes Estadual e Municipal de Ensino do Rio de Janeiro. Membro do Comitê Científico do Grupo de Trabalho Temático Corpo e Cultura do Colégio Brasileiro de Ciências do Esporte. É autor do livro "Corpos no limite: suplementos alimentares e anabolizantes em academias de ginástica" (Paco Editorial). É Parecerista ad hoc de periódicos científicos nacionais e internacionais da área de Educação Física/Esportes e do campo da Saúde. Possui experiência e interesse em estudos na perspectiva sociológica/antropológica: [Corpo, saúde e esporte]; [Promoção da saúde e risco sanitário]; [Homens, masculinidades e práticas corporais]; [Educação Física escolar e cultura]; [Pesquisa qualitativa/etnografia]. (alan10@zipmail.com.br).

Guilherme Gonçalves Baptista, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro

Professor EBTT do IFRJ, campus Rio de Janeiro. Possui graduação em Licenciatura em Educação Física pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2013); mestrado em Educação Física pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2015); e Doutorado em Educação pela Faculdade de Educação na UFRJ (2019). É pesquisador do Núcleo de Estudos Sociocorporais e Pedagógicos em Educação Física e Esporte e do Sport: Laboratório de Estudos do Esporte e do Lazer (Instituto de História/UFRJ). Áreas de atuação: história da educação física, formação de professores, educação do corpo e metodologia da pesquisa.

Sílvia Maria Agatti Lüdorf, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Professora Associada da UFRJ (Escola de Educação Física e Desportos), da graduação e do PPG em Educação Física, em disciplinas ligadas à Metodologia Científica e Educação Física e corpo. Licenciada em Educação Física /USP, Especialista em Técnicas Desportivas/USP, Mestre em Educação/UFC e Doutora em Educação/UFRJ. Realizou Pós-Doutorado no Instituto de Medicina Social/UERJ e Estágio Sabático na Universidade de Strasbourg (Laboratoire de Dynamiques Europeénnes, com David Le Breton). Coordena o Núcleo de Estudos Sociocorporais e Pedagógicos em Educação Física e Esportes (NESPEFE). É autora dos livros Corpo e Educação Física: trajetórias investigativas e Metodologia da Pesquisa: do projeto ao trabalho de conclusão de curso. Foi Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Educação Física em duas oportunidades. Coordenou a criação e atuou como Editora-chefe do periódico Arquivos em Movimento. É consultora ad-hoc de periódicos científicos da EF, educação e saúde. Tem experiência nas vertentes sociocultural e pedagógica da área de Educação Física, atuando principalmente nos seguintes temas: educação física, corpo e cultura, formação de professores/formação profissional, produção de conhecimento e metodologia científica.

Referências

BERNARD, Harvey Russell. Research methods in anthropology: qualitative and quantitative approaches. 5.ed. UK: Altamira Press, 2011.

BUENO, Bruna Aparecida; RIBAS, Marcelo Romanovitch; BASSAN, Julio Cesar. Determinação da ingesta de micro e macronutrientes na dieta de praticantes de CrossFit. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva, v. 10, n. 59, p. 579-586, out. 2016. Disponível em: http://www.rbne.com.br/index.php/rbne/article/view/695. Acesso em: 29 jun. 2021.

COSTA, Débora Cristina; ROCHA, Nayara Caroline Andrade; QUINTÃO, Denise Félix. Prevalência do uso de suplementos alimentares entre praticantes de atividade física em academias de duas cidades do Vale do Aço/MG: fatores associados. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva, v. 7, n. 41, p. 287-299, out. 2013. Disponível em: http://www.rbne.com.br/index.php/rbne/article/view/406. Acesso em: 29 jun. 2021.

COSTA, Taline Santos et al. CrossFit®: Injury prevalence and main risk factors. Clinics, v. 74, e1402, nov. 2019. DOI: https://doi.org/10.6061/clinics/2019/e1402. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/31778434/. Acesso em: 29 jun. 2021.

CROSSFIT. Crossfit introduces affiliate programming. Affiliate map. EUA, 2021a. Disponível em: https://www.crossfit.com/programming. Acesso em: 29 jun. 2021.

CROSSFIT. Guia de treinamento de nível 1. [Coletânea de artigos do CrossFit Journal de 2002 a 2021]. 2021b. Disponível em: http://library.crossfit.com/free/pdf/CFJ_L1_TG_Portuguese.pdf. Acesso em: 29 jun. 2021.

CZAPLICKI, Adam et al. Modeling record scores in the snatch and its variations in the long-term training of young weightlifters. PLoS ONE, v. 14, n. 12, p. 1-14, dez. 2019. DOI: https://doi.org/10.1371/journal.pone.0225891. Disponível em: https://journals.plos.org/plosone/article?id=10.1371/journal.pone.0225891. Acesso em: 29 jun. 2021.

DAMATTA, Roberto. O ofício de etnólogo, ou como ter “anthropological blues”. In: NUNES, Edson de Oliveira (org.). A aventura sociológica. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1978. p. 23-35.

DAWSON, Marcelle C. CrossFit: Fitness cult or reinventive institution? International Review for the Sociology of Sport, v. 52, n. 3, p. 361–379, 2015.

DOMINSKI, Fábio Hech et al. Psychological variables of CrossFit participants: a systematic review. Sport Sciences for Health, v. 17, p. 21-41, ago. 2021. DOI: https://doi.org/10.1007/s11332-020-00685-9. Disponível em: https://link.springer.com/content/pdf/10.1007/s11332-020-00685-9.pdf . Acesso em: 29 jun. 2021.

EDMONDS, Shaun. Geographies of (Cross)fitness: an ethnographic case study of a CrossFit Box. Qualitative Research in Sport, Exercise and Health, v. 12, n. 2, p. 192-206, 2020. DOI: https://doi.org/10.1080/2159676X.2019.1602559. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/332412389_Geographies_of_Crossfitness_an_ethnographic_case_study_of_a_CrossFit_Box. Acesso em: 3 jul. 2021.

FEITO, Yuri et al. An investigation into how motivational factors differed among individuals engaging in CrossFit training. Sage Open, v. 8, n. 3, p. 1–8, set. 2018. DOI: https://doi.org/10.1177/2158244018803139. Disponível em: https://journals.sagepub.com/doi/full/10.1177/2158244018803139. Acesso em: 29 jun. 2021.

FOUCAULT, Michel. A hermenêutica do sujeito. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

FOUCAULT, Michel. História da sexualidade II: o uso dos prazeres. Rio de Janeiro: Graal, 1984.

FOUCAULT, Michel. História da sexualidade III: o cuidado de si. Rio de Janeiro: Graal, 1985.

FOUCAULT, Michel. Segurança, território e população. São Paulo: Martins Fontes, 2008.

GASKELL, George. Entrevistas individuais e grupais. In: BAUER, Martin; GASKELL, George. Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático. 8. ed. Petrópolis: Vozes, 2010. p. 64-89.

GLASSMAN, Greg. Understanding CrossFit. CrossFit Journal, abr. 2007. Disponível em: http://journal.crossfit.com/2007/04/understanding-crossfit-by-greg.tpl. Acesso em: 29 jun. 2021.

GOLDENBERG, Mirian. A arte de pesquisar: como fazer pesquisa qualitativa em Ciências Sociais. 8. ed. Rio de Janeiro: Record, 2004.

GRIER, Tyson et al. Extreme conditioning programs and injury risk in a US Army Brigade Combat Team. U.S. Army Medical Department Journal archives, p. 36-47, out./dez. 2013.

HAK, Paul Taro; HODZOVIC, Emil; HICKEY, Ben. The nature and prevalence of injury during CrossFit training. The Journal of Strength & Conditioning Research, 2013. DOI: https://doi.org/10.1519/JSC.0000000000000318.

HEYWOOD, Leslie. ‘We’re in this together’: neoliberalism and the disruption of the coach/athlete hierarchy in CrossFit. Sports Coaching Review, v. 5, n. 1, p. 116-129, jul. 2016. DOI: https://doi.org/10.1080/21640629.2016.1198581. Disponível em: https://www.tandfonline.com/doi/full/10.1080/21640629.2016.1198581. Acesso em: 11 dez. 2019.

HOPKINS, Benjamin et al. Impact of CrossFit-Related spinal injuries. Clinical Journal of Sport Medicine, v. 29, n. 6, p. 482-485, nov. 2019. DOI: https://doi.org/10.1097/JSM.0000000000000553. Disponível em: https://journals.lww.com/cjsportsmed/toc/9000/00000. Acesso em: 29 jun. 2021.

KALIN, Fernando Ezequiel. Nosotros hacemos CrossFit: etnografía sobre identidades deportivas. Educación Física y Ciencia, v. 19, n. 2, e030, dez. 2017. DOI: https://doi.org/10.24215/23142561e030. Disponível em: https://www.efyc.fahce.unlp.edu.ar/article/download/EFyCe030/9150/. Acesso em: 29 jun. 2021.

KEPHART, Wesley et al. The three-month effects of a ketogenic diet on body composition, blood parameters, and performance metrics in CrossFit trainees: a pilot study. Sports (Basel), v. 6, n. 1, mar. 2018. DOI: https://doi.org/10.3390/sports6010001. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5969192/ . Acesso em: 29 jun. 2021.

KNAPIK, Joseph. Extreme conditioning programs: potential benefits and potential risks. Special Operations Medical Journal, v. 15, n. 3, p. 108-113, set. 2015. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/26360365/. Acesso em: 11 dez. 2019.

KNAPP, Bobbi. Gender representation in the CrossFit Journal: a content analysis. Sport in Society, v. 18. n. 6. p. 688-703, nov. 2014. DOI: https://doi.org/10.1080/17430437.2014.982544. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1080/17430437.2014.982544. Acesso em: 03 jul. 2021.

KOSELLECK, Reinhart. Futuro passado: contribuição à semântica dos tempos históricos. 2. ed. Rio de Janeiro: Contraponto, 2011.

KUHN, Steven. The culture of CrossFit: a lifestyle prescription for optimal health and fitness. Senior Thesis (Anthropology), ago. 2013. Disponível em: https://ir.library.illinoisstate.edu/cgi/viewcontent.cgi?article=1004&context=sta. Acesso em: 29 jun. 2021.

LE BRETON, David. A sociologia do corpo. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 2007.

LE BRETON, David. Condutas de risco: dos jogos de morte ao jogo de viver. Campinas: Autores Associados, 2009.

LUPTON, Deborah. Corpos, prazeres e práticas do eu. Educação & Realidade, v. 25, n. 2, p. 15-48, jul. 2000. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/educacaoerealidade/article/view/46831/29115. Acesso em: 29 jun. 2021.

MALINOWSKI, Bronislaw. Objetivo, método e alcance desta pesquisa. In: ZALUAR, Alba. Desvendando máscaras sociais. São Paulo: Francisco Alves, 1980. p. 39-61.

MANSKE, George Saliba; ROMANIO, Flávia. Medicalização, controle dos corpos e CrossFit: uma análise do site CrossFit Brasil. Textura, v. 17, n. 33, p. 139-159, jan 2015. Disponível em: http://www.periodicos.ulbra.br/index.php/txra/article/view/1364/1073. Acesso em: 29 jun. 2021.

MAUSS, Marcel. Sociologia e antropologia. São Paulo: Cosac & Naify, 2003.

MENDES, Maria Isabel Brandão de Souza; GLEYSE, Jacques. O cuidado de si em Michel Foucault: reflexões para a Educação Física. Movimento, v. 20, n. esp., p. 507-520, out. 2014. DOI: https://doi.org/10.22456/1982-8918.47942. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/Movimento/article/view/47942/34228. Acesso em: 29 jun. 2021.

MULLINS, Nicole. CrossFit: remember what you have learned; apply what you know. Journal of Exercise Physiology online, v. 18, n. 6, p. 32-44, dez. 2015. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/290123696_CrossFit_Remember_what_you_have_learned_apply_what_you_know. Acesso em: 29 jun. 2021.

NASH, Meredith. ‘Let’s work on your weaknesses’: australian CrossFit coaching, masculinity and neoliberal framings of ‘health’ and ‘fitness’. Sport in Society, v. 21, n. 9, p. 1432-1453, nov. 2018. DOI: https://doi.org/10.1080/17430437.2017.1390565. Disponível em: https://www.tandfonline.com/doi/full/10.1080/17430437.2017.1390565. Acesso em: 11 dez. 2019.

OLIVEIRA, Bianca Damasceno; COELHO FILHO, Carlos Alberto de Andrade. Fábrica de monstros: o “cuidado de si” em questão. Movimento, v. 25, e. 25001, dez. 2019. DOI: https://doi.org/10.22456/1982-8918.89944. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/Movimento/article/view/89944/55274. Acesso em: 29 jun. 2021.

ORNELLA, Alexander Darius. ‘Jesus Saves’ and ‘Clothed in Christ’: athletic religious apparel in the Christian CrossFit community. Sport in Society, v. 22, n. 2, p. 266-280, ago. 2017. DOI: https://doi.org/10.1080/17430437.2017.1360580. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/318894579_’Jesus_Saves’_and_’Clothed_in_Christ’_athletic_religious_apparel_in_the_Christian_CrossFit_community. Acesso em: 29 jun. 2021.

ORTEGA, Francisco. Práticas de ascese corporal e constituição de bioidentidades. Cadernos Saúde Coletiva, v. 11, n. 1, p. 59-77, jan./jun. 2003. Disponível em: http://www.cadernos.iesc.ufrj.br/cadernos/images/csc/2003_1/artigos/2003_1%20FOrtega.pdf. Acesso em: 29 jun. 2021.

ORTEGA, Francisco. Biopolíticas da saúde: reflexões a partir de Michel Foucault, Agnes Heller e Hannah Arendt. Interface – Comunicação, Saúde e Educação, v. 8, n. 14, p. 9-20, set. 2003/fev. 2004.

ORTEGA, Francisco. Da ascese à bio-ascese ou do corpo submetido à submissão ao corpo. In: RAGO, Margareth; ORLANDI, Luiz; VEIGA-NETO, Alfredo. Imagens de Foucault e Deleuze: ressonâncias nietzschianas. Rio de Janeiro: DP&A, 2005. p. 139-173.

PODMORE, Miranda; OGLE, Jennifer Paff. The lived experience of CrossFit as a context for the development of women’s body image and appearance management practices. International Journal of Interdisciplinary Research, v. 5, n. 1, p. 1-23, jan. 2018. DOI: https://doi.org/10.1186/s40691-017-0116-y. Disponível em: https://link.springer.com/content/pdf/10.1186/s40691-017-0116-y.pdf. Acesso em: 29 jun. 2021.

RABINOW, Paul. Artificialidade e iluminismo: da sociobiologia a biossociabilidade. In: BIEHL, João Guilherme. Antropologia da razão: Ensaios de Paul Rabinow. Rio de Janeiro: Relume Dumara, 1999. p. 135-157.

SARPONG, Kwame Amponsah. The community of CrossFit: an ethnographic inquiry. Dissertação (Master of Exercises Science) - University of Toronto, 2018. Disponível em: https://tspace.library.utoronto.ca/bitstream/1807/89614/3/Sarpong_Kwame_A_201806_MSc_thesis.pdf. Acesso em: 24 jun. 2022.

SCHWENGBER, Maria Simone Vione; BRACHTVOGEL, Caterine de Moura; CARVALHO, Rodrigo Saballa de. Espraiamento discursivo da cultura do fitness na contemporaneidade. Movimento, v. 24, n. 4, p. 1167-1178, out./dez. 2018. DOI: https://doi.org/10.22456/1982-8918.83071. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/Movimento/article/view/83071/51803. Acesso em: 29 jun. 2021.

SIBLEY, Benjamin; BERGMAN, Shawn. What keeps athletes in the gym? Goals, psychological needs, and motivation of CrossFit™ participants. International Journal of Sport and Exercise Psychology, v. 16, n. 5, p. 555-574, 2018. DOI: https://doi.org/10.1080/1612197X.2017.1280835. Disponível em: https://doi.org/10.1080/1612197X.2017.1280835. Acesso em: 03 jul. 2021.

SILVA, Alan Camargo; FERREIRA, Jaqueline. Homens no “limite” das dores na musculação de uma academia de ginástica de bairro popular: uma etnografia sobre formas plurais de expressão da masculinidade. Movimento, v. 22, n. 1, p. 89-98, jan./mar. 2016. DOI: https://doi.org/10.22456/1982-8918.54670. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/Movimento/article/view/54670/36520. Acesso em: 29 jun. 2021.

SMITH, Michael et al. CrossFit-based high-intensity power training improves maximal aerobic fitness and body composition. The Journal of Strength & Conditioning Research, v. 27, n. 11, p. 3159-3172, nov. 2013. DOI: https://doi.org/10.1519/JSC.0b013e318289e59f . Disponível em: https://journals.lww.com/nsca-jscr/Citation/2013/11000/Crossfit_Based_High_Intensity_Power_Training.30.aspx. Acesso em: 29 jun. 2021.

SPREY, Jan et al. An epidemiological profile of CrossFit athletes in Brazil.

The Orthopaedic Journal of Sports Medicine, v. 4. n. 8, p. 1-8, set. 2016. DOI: https://doi.org/10.1177/2325967116663706. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5010098/. Acesso em: 29 jun. 2021.

TIBANA, Ramires Alsamir; ALMEIDA, Leonardo Mesquita de; PRESTES, Jonato. CrossFit® riscos ou benefícios? O que sabemos até o momento? Revista Brasileira de Ciências e Movimento, v. 23, n. 1, p. 182-185, mar. 2015. DOI: http://dx.doi.org/10.18511/rbcm.v23i1.5698. Disponível em: https://portalrevistas.ucb.br/index.php/RBCM/article/view/5698. Acesso em: 29 jun. 2021.

TIBANA, Ramires Alsamir; SOUSA, Nuno Manuel Frade de. Are extreme conditioning programmes effective and safe? A narrative review of high-intensity functional training methods research paradigms and findings. BMJ Open Sport & Exercise Medicine, v. 4, n. 1, e000435, nov. 2018. DOI: https://doi.org/10.1136/bmjsem-2018-000435. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC6243133/. Acesso em: 29 jun. 2021.

TURATO, Egberto Ribeiro. Métodos qualitativos e quantitativos na área da saúde: definições, diferenças e seus objetos de pesquisa. Revista de Saúde Pública, v. 39, n. 3, p. 507-514, jun. 2005. DOI: https://doi.org/10.1590/S0034-89102005000300025. Disponível em: https://paginas.uepa.br/mestradocipe/Downloads/Turato%20Quanto%20X%20Quali.pdf. Acesso em: 29 jun. 2021.

TURATO, Egberto Ribeiro. Tratado da metodologia da pesquisa clínico-qualitativa: construção teórico-epistemológica, discussão comparada e aplicação nas áreas da saúde e humanas. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 2003.

VEIGA-NETO, Alfredo. Foucault e a Educação. Belo Horizonte: Autêntica, 2017.

WASHINGTON, Myra; ECONOMIDES, Megan. Strong is the new sexy: women, CrossFit, and the postfeminist ideal. Journal of Sport and Social Issues, v. 40, n. 2, p. 143-161, nov. 2015. DOI: https://doi.org/10.1177/0193723515615181.

Downloads

Publicado

2022-07-25

Como Citar

WOOD, E. R.; SILVA, A. C.; BAPTISTA, G. G.; LÜDORF, S. M. A. Tornando-se um praticante de CrossFit: gerenciamentos do corpo dentro e fora dos boxes. Movimento, [S. l.], v. 28, p. e28038, 2022. DOI: 10.22456/1982-8918.116972. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/Movimento/article/view/116972. Acesso em: 5 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos Originais