A estética realista dos filmes sobre a ditadura militar no Brasil

Autores

  • Helena Stigger
  • Cristiane Freitas Gutfreind
  • Guilherme Brendler

Palavras-chave:

Cinema brasileiro, Ditadura militar, Estética

Resumo

O cinema canaliza em seu aporte uma impressão de realidade baseada na experiência empírica do realizador e da sociedade ao qual ele pertence. Em sua condição de discurso, o cinema, assim como todas as formas narrativas, abrange um enunciado e um espectador. Diferentemente de um romance, a “gramática” cinematográfica é composta por um conjunto de elementos como a imagem, som, música entre outros que, organizados, contam uma história. Entretanto, a forma como estes componentes são gravados em imagens e ordenados numa seqüência narrativa não é única. Desta forma, podemos pensar  qual é o propósito de uma escolha estética usual nos filmes Pra frente Brasil e Batismo de Sangue para representar a Ditadura Militar Brasileira.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Helena Stigger

Mestre em Comunicação, doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da PUCRS e, como bolsista do CNPq, integra o projeto A representação fílmica da ditadura militar no Brasil.

Cristiane Freitas Gutfreind

Doutora em Sociologia, professora do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da PUCRS e coordena o projeto A representação fílmica da ditadura militar no Brasil.

Guilherme Brendler

Graduando em Jornalismo na PUCRS e bolsista BPA/PUCRS integrante do projeto A representação fílmica da ditadura militar no Brasil.

Downloads

Publicado

2009-03-13

Como Citar

STIGGER, H.; GUTFREIND, C. F.; BRENDLER, G. A estética realista dos filmes sobre a ditadura militar no Brasil. Em Questão, Porto Alegre, v. 14, n. 2, p. 261–274, 2009. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/EmQuestao/article/view/6491. Acesso em: 9 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)