Cultura Teuto-Brasileiro-Evangélica no Rio Grande do Sul: articulando gênero com raça, classe, nação e religião

Dagmar E. Estermann Meyer

Resumo


Discuto, aqui, os modos pelos quais gênero se articulou com
raça,nacionalidade, religião e classe social nas representações acerca da culturateuto-brasileiro-evangélica,
no Rio Grande do Sul, na primeira metade doséculo XX. Fundamentando-me nos campos dos
Estudos Feministas e dos Estudos Culturais analisei publicações, veiculadas no período de 1900 a
1940, peloJ ornal Deutsche Post, pelo almanaque Kalender fUr die Deutschen in Brasiliene pelo periódico
Allgemeine Lehrerzeitung fOr Rio Grande do Sul. Estaanálise permitiu delinear diferentes discursos
que se articularam noprocesso de produção de uma cultura em que representações específicas
demasculinidade e feminilidade delimitaram os modos de funcionamento deinstituições sociais, as
relações do grupo com a Nação Alemã e o EstadoBrasileiro, o processo de produção econômica e o de
trabalho, as relaçõesfamiliares, afetivas e sexuais vigentes, bem como as relações do grupo comoutros
grupos sócio-culturais, posicionando-o de modo diverso no contextogaúcho e brasileiro da época.


Palavras-chave


Estudos de Gênero. Estudos Culturais. Cultura. Representação. Identidade Cultural.

Texto completo:

PDF


Direitos autorais

Educação & Realidade - ISSN 0100-3143 (impresso) e 2175-6236 (online)

 

Licença Creative Commons
Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

 

Apoio e Indexação:

LATINDEX

 

Crossref Similarity Check logo