A atenção cartográfica e o gosto pelos problemas

Virginia Kastrup

Resumo


O artigo dá continuidade e amplia a discussão sobre o funcionamento da atenção no trabalho do cartógrafo, colocando o problema da possibilidade de ensinar a atenção cartográfica e a política cognitiva da invenção. Baseado nas ideias de Gilles Deleuze e Félix Guattari, aponta a necessidade de uma aprendizagem inventiva para chegar a uma atenção concentrada e aberta ao plano coletivo de forças. Sugere que as condições de possibilidade de tal aprendizagem podem ser criadas pela prática de contato direto com as forças da matéria que habitam os objetos do mundo e também pela prática mediada por um professor. Recorrendo ao trabalho de Antoine Hennion sobre a pragmática do gosto, aponta que o professor pode acompanhar o processo do aprendiz, despertando nele o curioso gosto pela experiência de problematização que caracteriza o trabalho do cartógrafo. Em lugar de centrar o ensino na linguagem, trata-se de cultivar e compartilhar processos de problematização, envolvidos na atenção ao mundo e na atenção a si.


Palavras-chave


atenção;cartografia; experiência de problematização

Texto completo:

PDF

Referências


Citton, Y. (2014) Pour une écologie de l’attention. Paris: Seuil.

Deleuze, G. (1988) Diferença e Repetição. Rio de Janeiro, Graal.

Deleuze, G. (2006). O abecedário de Gilles Deleuze. http://escolanomade.org/wp-content/downloads/deleuze-o-abecedario.pdf E de Enfance [Infância]

Deleuze, G.; Guattari, F. Mil platôs - Capitalismo e Esquizofrenia. V.1. Rio de Janeiro: Ed.34, 1995.

Depraz, N; Varela, F; Vermersch, P. (2000) La réduction à l’épreuve de l’expérience. Études phénoménologiques, Paris, 31-32, 165-184.

Depraz, N; Varela, F; Vermersch, P. (2003) On becoming aware: advances in consciousness research. Amsterdam: John Benjamins Publishing.

Freud, S. (1969). Recomendações aos médicos que exercem a Psicanálise. In Obras Completas de Sigmund Freud: Vol. 12. Rio de Janeiro: Imago.

Hennion, A. (2009) Réflexivités. L’activité de l’amateur. Reseaux 2009/1, n. 153, p.55-78.

Kastrup, V. (2007) A invenção de si e do mundo. Belo Horizonte: Autêntica.

KASTRUP, V. (2009). O funcionamento da atenção no trabalho do cartógrafo. In: Passos, E., Kastrup, V. e Escóssia, L. (Orgs) Pistas do método da cartografia: pesquisa-intervenção e produção de subjetividade. V. 1. Porto Alegre: Sulina, 2009. p.32-51.

Kastrup, V., Tedesco, S. e Passos, E. (2008) Políticas da Cognição. Porto Alegre: Sulina.

Pozzana, L. (2014) A formação do cartógrafo é o mundo. In: Passos, Kastrup e Tedesco (Orgs) Pistas do método da cartografia. A experiência da pesquisa e o plano comum. V. 2. Porto Alegre: Sulina.

Pozzana, L. e Kastrup, V. (2009) Cartografar é acompanhar processos. In: In: Passos, E., Kastrup, V. e Escóssia, L. (Orgs) Pistas do método da cartografia: pesquisa-intervenção e produção de subjetividade. V. 1. Porto Alegre: Sulina, 2009.p. 52-75.




DOI: https://doi.org/10.22456/2238-152X.97450

logogoogle
Scientific Electronic Library Online     

           

 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

 

ISSN eletrônico: 2238-152X