A psicologia no CRAS: articulações possíveis para a participação popular

Tayná Ceccon Martins, Rafael Bianchi Silva

Resumo


Essa pesquisa tem como objeto de estudo a participação popular no espaço do CRAS - Centro de Referência de Assistência Social. Desta feita, procurou-se compreender a percepção dos psicólogos em relação ao seu trabalho tendo como premissa essa participação. Para tanto, foram realizadas entrevistas semiestruturadas com oito psicólogas atuantes em CRAS no interior do Paraná. Foi possível perceber através das entrevistas que os psicólogos acreditam que podem potencializar o espaço público do CRAS através da acolhida, da escuta qualificada e principalmente a partir dos espaços coletivos, como oficinas e ações comunitárias. Verificou-se ainda, que consideram que seja também uma das funções do psicólogo aproximar os cidadãos da política, para que possam compreendê-la e ajudar na sua construção, ocupando também os lugares existentes de participação social. Esses resultados podem contribuir para melhor entendimento acerca do compromisso social da Psicologia e auxiliar na percepção das possibilidades de atuação dos psicólogos neste espaço.


Palavras-chave


psicologia; CRAS; participação política; espaço público.

Texto completo:

PDF

Referências


Bardin, L. (1977). Análise de conteúdo. Presses Universitaires de France, França.

Brasil. (2004) Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Secretaria Nacional de Assistência Social. Política Nacional de Assistência Social. PNAS/2004. Brasília, MDS/SNAS.

Brasil. (2011). Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. NOB-RH Anotada e Comentada. Brasília, MDS/SNAS.

Brasil. (2012). Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Secretaria Nacional de Assistência Social. Orientações técnicas sobre o PAIF – volume 2. Brasília, MDS.

Brasil. (2016). Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Fundamentos ético-políticos e rumos teórico-metodológicos para fortalecer o Trabalho Social com Famílias na Política Nacional de Assistência Social. Brasília, MDS/SNAS.

Brasil (2016) Constituição da República Federativa do Brasil: promulgada em 8 de outubro de 1988. In Vade Mecum Saraiva: OAB e concursos. 9. ed. São Paulo: Saraiva.

Conselho Federal de Psicologia. (2007). Referências Técnicas para atuação do/a psicólogo/a no CRAS/SUAS. Centro de Referência Técnica em Psicologia e Políticas Públicas (CREPOP). Retrivied from: http://www.crpsp.org.br/portal/comunicacao/artes-graficas/arquivos/2008-CREPOP-CRAS-SUAS.pdf

Conselho Federal de Serviço Social. Conselho Federal de Psicologia.(2007) Parâmetro para atuação de assistentes sociais e psicólogos (as) na Política de Assistência Social, Brasil, Conselho Federal de Psicologia – CFP, Conselho Federal de Serviço Social – CFESS, 52 p., Retrivied from: https://site.cfp.org.br/wp-content/uploads/2007/09/relatorio_atuacao_psi_pas.pdf

Cotta, R.M.M., Martins, P.C., Batista, R.S., Franceschinni, S.C.C., Priore, S.E., & Mendes, F.F. (2011) O controle social em cena: refletindo sobre a participação popular no contexto dos conselhos de saúde. Physis: revista de saúde coletiva, Retrivied from: https://www.scielosp.org/article/physis/2011.v21n3/1121-1138/

Cruz, L., Rodrigues, L., & Battistelli, B. (2018) A política de Assistência Social: relações entre vulnerabilidade, risco e autonomia. Revista Polis e Psique, 8(03), Retrivied from: https://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/187860/001084988.pdf?sequence=1&isAllowed=y

Koga, D. (2006) A política de assistência social no Brasil: A assistência social como política de proteção social. In Albuquerque, M.C. (org.) Participação popular em políticas públicas: Espaço de construção da democracia brasileira. São Paulo: Instituto Pólis. Retrivied from:: http://www.bibliotecadigital.abong.org.br/bitstream/handle/11465/406/POLIS_participa%E7ao_popular_politicas_publicas.pdf?sequence=1

Lei nº 8.742.(1993) Lei Orgânica de Assistência Social (LOAS). Dispõe sobre a organização da Assistência Social e dá outras providências. Brasília: DF.

Raichelis, R. (2015) Esfera pública e conselhos de assistência social: Caminhos da construção democrática. 7ª ed. São Paulo: Cortez.

Silva, M.L. (2017) A ideia de espaço público em Hannah Arendt. Cadernos Zygmunt Bauman, 7(13), 117-133, Retrivied from: http://www.periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/bauman/article/view/7348/4593

Stopa, R. (2012) A implantação do Sistema Único de Assistência Social no município de Ourinhos-SP: A contribuição do Serviço Social. (Dissertação de Mestrado). Faculdade de Ciências Humanas e Sociais, Universidade Estadual Paulista, Ourinhos - SP.




DOI: https://doi.org/10.22456/2238-152X.92600

logogoogle
Scientific Electronic Library Online     

           

 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

 

ISSN eletrônico: 2238-152X