EDUCAÇÃO FÍSICA, CULTURA E ESCOLA: DA DIFERENÇA COMO DESIGUALDADE À ALTERIDADE COMO POSSIBILIDADE

Rogério Cruz de Oliveira, Jocimar Daolio

Resumo


Este estudo objetiva compreender como as diferenças são significadas e representadas pelos alunos nas aulas de educação física. Trata-se de uma etnografia desenvolvida numa escola pública do município de Campinas-SP. Tal incurso levou-nos à compreensão de que as diferenças apresentadas pelos alunos constituíram parâmetros definidores de desigualdade de oportunidades, preconceitos e sectarismos. Assim, o entendimento das diferenças esteve permeado por certos reducionismos, enxergando o “outro” somente por suas características mais visíveis, obscurecendo a complexidade da dinâmica cultural. Por fim, compreendemos que é desejável que as diferenças sejam consideradas na ótica da alteridade subsidiada por uma perspectiva intercultural de educação.


Palavras-chave


Educação Física. Educação. Preconceito. Identidade de gênero.



DOI: https://doi.org/10.22456/1982-8918.8279



 

 


Movimento
Escola de Educação Física, Fisioterapia e Dança | Universidade Federal do Rio Grande do Sul | UFRGS
Endereço: Rua Felizardo, 750, Jardim Botânico, Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil, CEP 90690-200
E-mail: movimento@ufrgs.br
 

Bases de Dados Indexadoras

 

                                      

 

Apoio

 

        

 

Licença de cópias e declaração de boas práticas de avaliação

 

 Licença Creative CommonsSan Francisco Declaration on Research Assessment