A estrutura do livro como matriz de ordenação do conhecimento

Autores

  • Igor Soares Amorim Universidade Federal de Santa Catarina e Universidade do Estado de Santa Catarina
  • Elaine Rosangela de Oliveira Lucas Universidade do Estado de Santa Catarina
  • Daniella Camara Pizarro Universidade do Estado de Santa Catarina
  • Antônio Carlos Picalho Universidade do Estado de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.19132/1808-5245250.264-287

Palavras-chave:

História do livro. Livro não-objeto. Bibliografia. Organização do conhecimento.

Resumo

Discute a noção de livro e como tal artefato implicou na construção da Modernidade, no sentido da compreensão do conhecimento e na circulação de informações. Caracteriza-se como uma pesquisa bibliográfica e exploratória, voltada à temática da história do livro, no período que abrange o fim da Idade Média até os dias atuais. Estabelece relações dos elementos identificados com eventos marcantes que animaram a consolidação da Modernidade para identificar efeitos que a estrutura livresca coproduziu na trajetória socio-histórica desse período. Como fundamentação teórica, parte da concepção de que o livro não é apenas um objeto, mas um elemento que se articula com o mundo. Nesse sentido, o livro não é mero suporte informacional, mero composto de conteúdo e forma. A cadeia simplificadora dado-informação-conhecimento é questionada, por ser uma divisão instrumental, condicionada por uma visão mecanicista da razão. Desse modo, a noção de livro deste estudo defende que antes de ter um sujeito (autor) e um objeto (assunto), tem matérias informes, de diferentes velocidades, e é definido primeiramente por sua materialidade e sua exterioridade. Essa compreensão desloca qualquer gesto documentalista ou informacional, porque categorias como autor, assunto e formato perdem relevância em relação às correlações que um livro compõe. Por isso, a necessidade de pensarmos tais correlações, de modo a rever as abordagens tradicionais que predominam nas áreas que comungam o interesse pelo livro. É necessário pensar ligações do livro com o mundo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Igor Soares Amorim, Universidade Federal de Santa Catarina e Universidade do Estado de Santa Catarina

Doutorando em Ciência da Informação pela Universidade Federal de Santa Catarina. Professor no Departamento de Biblioteconomia da Universidade do Estado de Santa Catarina

Elaine Rosangela de Oliveira Lucas, Universidade do Estado de Santa Catarina

Doutora em Ciência da Informação pela Universidade de São Paulo. Professora adjunta do Departamento de Biblioteconomia e Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Gestão da Informação da Universidade do Estado de Santa Catarina.

Daniella Camara Pizarro, Universidade do Estado de Santa Catarina

Doutora em Ciência da Informação pela Universidade Federal de Santa Catarina. Professora adjunta no Departamento de Biblioteconomia e do Programa de Pós-Graduação em Gestão da Informação da Universidade do Estado de Santa Catarina.

Antônio Carlos Picalho, Universidade do Estado de Santa Catarina

Graduando em Biblioteconomia e bolsista de Iniciação Científica pela Universidade do Estado de Santa Catarina

Downloads

Publicado

2019-10-17

Como Citar

AMORIM, I. S.; LUCAS, E. R. de O.; PIZARRO, D. C.; PICALHO, A. C. A estrutura do livro como matriz de ordenação do conhecimento. Em Questão, Porto Alegre, v. 25, p. 264–287, 2019. DOI: 10.19132/1808-5245250.264-287. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/EmQuestao/article/view/92374. Acesso em: 19 maio. 2022.

Edição

Seção

Fórum Internacional A Arte da Bibliografia

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)