A imagem e seus sentidos imanentes e transcendentes

Sílvio Antonio Luiz Anaz

Resumo


Este artigo busca contribuir na compreensão da natureza da imagem e de seu papel na geração de sentidos nos processos comunicacionais. Baseada principalmente nas perspectivas teóricas de Durand (2002), Jung (1994, 2011) e Damásio (2004, 2011), a reflexão explora como se dá a construção da imagem simbólica, a partir do papel dos arquétipos e das capacidades de percepção e de imaginação humanas, e de que forma esse tipo de imagem constrói os significados que produz. Como resultado, propõe-se um conceito de imagem que a coloca como elemento básico e essencial do pensamento humano que antecede ontológica e temporalmente a palavra e é dotada de significações imanentes e transcendentes.


Palavras-chave


Imagem. Simbólico. Arquétipo. Representação. Significado.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.19132/1807-8583202049.138-150



Intexto | E-ISSN 1807-8583 | Facebook | Google Scholar 

Classificação Qualis: B1 - Comunicação, Informação, História, Letras/Linguística  | B2 - Psicologia | B3 - Ciência Política e Relações Internacionais, Arquitetura, Urbanismo e Design, Ciências Ambientais, Interdisciplinar | B4 - Sociologia. 

Programa de Pós-graduação em Comunicação | Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Rua Ramiro Barcelos, 2705 sala 519 - Porto Alegre, RS, Brasil | E-mail: Intexto @ufrgs.br

Membro Associação Brasileira de Editores Científicos 

Signatária DORA (San Francisco Declaration on Research Assessment)