Comunicação como ruptura: nuances de uma nova teoria brasileira

Vanessa Matos dos Santos

Resumo


A concepção de territórios discursivos engendra lugares políticos e, ainda que de uma forma indireta, pressupõe uma espécie de colonização cognitiva e epistêmica. Os estudos em Comunicação no Brasil e na América Latina ainda são maciçamente marcados por contribuições teóricas e conceitos que foram forjados levando em consideração contextos outros que não os da Ibero-América. Objetivando apresentar um importante progresso alcançado no Brasil, este artigo apresenta a Nova Teoria da Comunicação (NTC) e o conceito de comunicação como ruptura e consequente abertura ao Outro. Dada esta abertura, a NTC não trabalha com a rigidez metodológica e sim com o rigor em narrar os acontecimentos através do metáporo. Busca-se demonstrar, sobretudo, que pesquisar com os procedimentos metapóricos enseja uma nova relação entre pesquisador e objeto de pesquisa, que permite vislumbrar novos olhares num campo tão complexo como o da Comunicação.                  


Palavras-chave


Nova Teoria da Comunicação. Ruptura. Epistemologia. Metáporo.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.19132/1807-8583201842.96-113



Intexto | E-ISSN 1807-8583 | Facebook | Google Scholar 

Classificação Qualis: B1 - Comunicação, Informação, História, Letras/Linguística  | B2 - Psicologia | B3 - Ciência Política e Relações Internacionais, Arquitetura, Urbanismo e Design, Ciências Ambientais, Interdisciplinar | B4 - Sociologia. 

Programa de Pós-graduação em Comunicação e Informação | Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Rua Ramiro Barcelos, 2705 sala 519 - Porto Alegre, RS, Brasil | E-mail: Intexto @ufrgs.br

Membro Associação Brasileira de Editores Científicos 

Signatária DORA (San Francisco Declaration on Research Assessment)