NOVOS ASPECTOS DO TRATAMENTO DA DOENÇA DE GRAVES

Autores

  • Vânia Araújo Andrade
  • Jorge Luiz Gross
  • Ana Luiza Maia

Palavras-chave:

Doença de Graves, hipertireoidismo, drogas antitireoidianas, iodo radioativo

Resumo

O hipertireoidismo da doença de Graves é a forma mais comum de hipertireoidismo em pacientes entre 20-50 anos. Três abordagens terapêuticas são atualmente utilizadas, drogas antitireoidiana, cirurgia e iodo radioativo (131I). O iodo radioativo tem sido cada vez mais aceito como primeira escolha terapêutica, porque é um tratamento seguro, definitivo e de fácil administração. O risco de piora do quadro de tireotoxicose após administração do 131I, os fatores prognósticos de falência e o cálculo da dose administrada têm sido alguns dos aspectos discutidos na literatura recentemente, e constituem o foco desta artigo. Em pacientes com bócios pequenos (<30g), crianças e adolescentes, e em situações especiais como na gravidez, as drogas antitireoidianas ainda é a primeira escolha no tratamento para a maioria dos autores. O tratamento cirúrgico é, atualmente, quase um tratamento de exceção, com indicação restrita para os casos em que as terapias anteriores não possam ser utilizadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2022-09-23

Como Citar

1.
Araújo Andrade V, Gross JL, Maia AL. NOVOS ASPECTOS DO TRATAMENTO DA DOENÇA DE GRAVES. Clin Biomed Res [Internet]. 23º de setembro de 2022 [citado 31º de janeiro de 2023];23(1 - 2). Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/hcpa/article/view/126256

Edição

Seção

Artigos Especiais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>