Outros Ritmos em Escolas da Periferia de São Paulo

Autores

  • Alexandre Barbosa Pereira Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo/SP

Palavras-chave:

Juventudes. Escola. Ritmos. Públicos. Zoeira.

Resumo

O artigo apresenta pesquisa em escolas públicas da periferia de São Paulo a fim de entender o desenvolvimento das sociabilidades juvenis. A proposta é descrever as dimensões que a categoria juventude adquire a partir das experiências que os estudantes vivenciam. Os jovens engendram ritmos que se contrapõem ao ritmo disciplinar. Por meio das novas tecnologias e da cultura de massa, eles têm participado de outras atividades, constituindo públicos específicos, formados prévia e externamente à escola. Assim, se a escola tenta fechar-se ao mundo externo com portões e grades, os jovens com seus diferentes ritmos, principalmente o das zoeiras, introduzem no espaço escolar os mais diferentes e singulares mundos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alexandre Barbosa Pereira, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo/SP

Alexandre Barbosa Pereira é professor Adjunto do Departamento de Saúde, Educação e Sociedade da Universidade Federal de São Paulo, Campus Baixada Santista. Integra o eixo interdisciplinar: “O ser humano e sua inserção social”. Doutor em Antropologia Social pela Universidade de São Paulo.

Publicado

2015-12-30

Como Citar

Pereira, A. B. (2015). Outros Ritmos em Escolas da Periferia de São Paulo. Educação &Amp; Realidade, 41(1). Recuperado de https://seer.ufrgs.br/index.php/educacaoerealidade/article/view/54713

Edição

Seção

Ensino Médio e Juventudes