Proposta de modelo para a estimativa da resistência característica à tração inclinada de madeiras de folhosas

Autores

  • João Paulo Boff Almeida Universidade Federal de São Carlos (UFSCar)
  • André Luis Christoforo Universidade Federal de São Carlos (UFSCar)
  • Francisco Antonio Rocco Lahr Universidade de São Paulo (USP)

Palavras-chave:

Madeira, ângulo de orientação das fibras, modelos empíricos, resistência à tração.

Resumo

Pela complexidade anatômica e variabilidade intrínseca das propriedades encontradas dentro de uma mesma espécie, a madeira tem sido tratada, pelos diversos documentos normativos, como material isotrópico, com valores de resistência e de rigidez determinados por meio de formulações advindas da resistência dos materiais. A falta de informações experimentais, aliada ao desconhecimento da utilização de critérios de resistência para materiais anisotrópicos, aumenta as incertezas na análise de falha das estruturas quanto às estimativas das propriedades de resistência e rigidez em função da orientação das fibras. Com o objetivo de solucionar este problema, modelos empíricos têm sido desenvolvidos e incorporados em diversos documentos normativos nacionais e internacionais. Tais modelos são ajustados em função de um expoente (n) que fornece o melhor ajuste, entretanto, mesmo em se tratando do mesmo modelo, ainda há divergências com relação ao uso desse expoente. Nesse contexto, esta pesquisa objetivou propor um modelo para a estimativa do valor característico de resistência à tração inclinada (ftθ,k) e compará-lo com modelos empíricos provenientes da literatura correlata (com os ajustes ótimos do expoente n), para evidenciar o melhor ajuste. Os resultados obtidos revelaram que o modelo desenvolvido na pesquisa foi o mais preciso.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2022-09-12

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

> >>