Painéis OSB fabricados com madeiras da caatinga do nordeste do Brasil

Autores

  • Maria Fátima Nascimento Laboratório de Madeiras e de Estruturas de Madeira (LaMEM), Departamento de Engenharia de Estruturas, Escola de Engenharia de São Carlos, Universidade de São Paulo
  • Marilia da Silva Bertolini Laboratório de Madeiras e de Estruturas de Madeira (LaMEM), Departamento de Engenharia de Estruturas, Escola de Engenharia de São Carlos, Universidade de São Paulo
  • Túlio Hallak Panzera Departamento de Engenharia Mecânica, Universidade Federal de São João del-Rei, São João del-Rei, MG.
  • André Luis Christoforo Departamento de Engenharia Civil (DECiv) - Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR)
  • Francisco Antonio Rocco Lahr Laboratório de Madeiras e de Estruturas de Madeira (LaMEM), Escola de Engenharia de São Carlos, Universidade de São Paulo (USP)

Palavras-chave:

Painéis OSB, Caatinga, Rigidez, Resistência

Resumo

Este trabalho objetivou avaliar a viabilidade da produção de painéis OSB feitos com espécies de madeira da caatinga do nordeste do Brasil – marmeleiro (Croton sonderianus Muell. Arg.), jurema-branca (Piptadenia stipulacea (Benth.) Ducke) e catanduva (Piptadenia moniliformis Benth.) – e resina poliuretana bicomponente derivada de mamona. As propriedades investigadas foram: densidade aparente; inchamento em espessura e absorção de água, ambos em 2 h e 24 h; módulo de elasticidade e resistência na flexão, na direção paralela e na direção perpendicular ao painel; adesão interna e arrancamento de parafuso em relação à face, conforme as normas europeias EN. Os resultados das propriedades físicas e mecânicas obtidas evidenciaram a possibilidade da produção em laboratório de painéis OSB com as três espécies analisadas, conforme valores médios e variabilidade de propriedades equivalentes às chapas fabricadas em escala industrial, além de comparados aos requisitos da norma EN 300 (EUROPEAN..., 2006) para painéis dos tipos OSB/3 e OSB/4. Pela análise de variância, os painéis OSB fabricados com strands de madeiras de catanduva apresentaram os melhores resultados para as propriedades mecânicas; para as físicas, os melhores desempenhos foram provenientes dos painéis feitos com madeira de marmeleiro e jurema-branca.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Fátima Nascimento, Laboratório de Madeiras e de Estruturas de Madeira (LaMEM), Departamento de Engenharia de Estruturas, Escola de Engenharia de São Carlos, Universidade de São Paulo

Graduação em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Guarulhos (1984), Mestrado em Tecnologia da Arquitetura e Urbanismo pela Universidade de São Paulo (1998) e Doutorado em Ciências e Engenharia de Materiais pela Universidade de São Paulo (2003). Atua como Pesquisadora pela Universidade de São Paulo, Campus São Carlos.

Marilia da Silva Bertolini, Laboratório de Madeiras e de Estruturas de Madeira (LaMEM), Departamento de Engenharia de Estruturas, Escola de Engenharia de São Carlos, Universidade de São Paulo

Engenheira Industrial Madeireira pela Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho",

Mestre em Ciência e Engenharia de Materiais pela Universidade de São Paulo,

Doutoranda em Ciência e Engenharia de Materiais pela Universidade de São Paulo.

Túlio Hallak Panzera, Departamento de Engenharia Mecânica, Universidade Federal de São João del-Rei, São João del-Rei, MG.

Pós-Doutorado em Engenharia Aeroespacial pela University of Bristol (Inglaterra) (2013), Doutorado em Projeto Mecânico pela Universidade Federal de Minas Gerais e University of Bath (Inglaterra) (2007), Mestrado em Engenharia Mecânica na área de Processos de Fabricação (2003) e Graduação em Engenharia Mecânica pela Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG (2001). Atualmente é Professor do curso de Graduação e Pós-Graduação em Engenharia Mecânica (PPMEC) e Pós-Graduação em Física e Química dos Materiais (FQMat) da Universidade Federal de São João del-Rei - UFSJ e colaborador do Programa de Pós Graduação em Engenharia Civil (PPGEC) do CEFET-MG.

André Luis Christoforo, Departamento de Engenharia Civil (DECiv) - Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR)

Graduação em Engenharia Civil pela Universidade de Franca (UNIFRAN), Especialização em Matemática Universitária pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP), campus Rio Claro, Mestrado em Engenharia de Estruturas pela Escola de Engenharia de São Carlos (EESC) da Universidade de São Paulo (USP), Doutorado em Engenharia de Estruturas pela EESC/USP e Pós-Doutorado em Engenharia de Estruturas também pela EESC/USP. Professor Doutor do curso de Engenharia Civil, Departamento de Engenharia Civil (DECiv) - Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR)

Francisco Antonio Rocco Lahr, Laboratório de Madeiras e de Estruturas de Madeira (LaMEM), Escola de Engenharia de São Carlos, Universidade de São Paulo (USP)

Engenheiro Civil formado em 1975 pela Escola de Engenharia de São Carlos, USP,Mestrado em Engenharia de Estruturas EESC, USP, Doutorado em Engenharia de Estruturas EESC, USP, Livre-docência, Universidade de São Paulo, USP. Professor Titular do Departamento de Engenharia de Estruturas, EESC, USP, desde 1993.

Downloads

Publicado

2015-03-06

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

> >>