GRÊMIO DE REGATAS ALMIRANTE TAMANDARÉ: UMA AMEAÇA AO IMPÉRIO IDENTITÁRIO TEUTO-BRASILEIRO NO CENÁRIO DO REMO PORTO-ALEGRENSE

Autores

  • Carolina Fernandes da Silva Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Ester Liberato Pereira Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Janice Zarpellon Mazo Universidade Federal do Rio Grande do Sul

DOI:

https://doi.org/10.22456/1982-8918.37783

Palavras-chave:

Esporte. Remo. História.

Resumo

A fundação do Grêmio de Regatas Almirante Tamandaré ameaçou a hegemonia de associações de remo com identidades culturais teuto-brasileiras, em Porto Alegre. Esta associação foi fundada por luso-brasileiros, que buscaram construir novas representações identitárias em torno desta prática esportiva, modificando o cenário do remo na cidade. O Grêmio de Regatas Almirante Tamandaré iniciou uma nova fase para a prática esportiva em Porto Alegre. Além de mais espaço na imprensa, consolidou, no cenário esportivo porto-alegrense, uma associação que se aproximasse de uma identidade cultural brasileira. Ação que oportunizou disputas identitárias no cenário do associativismo do remo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carolina Fernandes da Silva, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Ciências do Movimento Humano - PPGCMH/ESEF/UFRGS. Mestra no Programa de Pós-graduação em Ciências do Movimento Humano com bolsa CAPES. Especialista em Cinesiologia pela ESEF/ UFRGS. Graduada em Educação Física com licenciatura plena pela Universidade da Região da Campanha (2002). Experiência na área de pesquisa em Educação Física, com ênfase em História do Esporte. Membro integrante do Núcleo de Estudos em História e Memória do Esporte- NEHME- ESEF/UFRGS, atuando principalmente nos seguintes temas: esporte, remo, história cultural, identidades culturais. Participante do 19th International Seminar on Olympic Studies for Postgraduate Students of the International Olympic Academy, ocorrido em Olímpia - Grécia, em 2012.

Ester Liberato Pereira, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Ciências do Movimento Humano na Escola de Educação Física (ESEF) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), na linha de pesquisa Representações Sociais do Movimento Humano (início/2012). Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Ciências do Movimento Humano da ESEF/UFRGS, na linha de pesquisa Representações Sociais do Movimento Humano (2012). Especialista em Equoterapia pela Universidade Tuiuti do Paraná (UTP) (2012). Graduada em Licenciatura Plena em Educação Física pela ESEF/UFRGS (2009). Intercâmbios com bolsa na Faculdade de Desporto (FADEUP) da Universidade do Porto (UP) (Portugal) e na Facultad de Educación Física (FACDEF) da Universidad Nacional de Tucumán (UNT) (Argentina) durante a graduação. Experiência na área de pesquisa em Educação Física, com ênfase em História do Esporte. Atualmente, é integrante da equipe de Equoterapia do Centro de Equoterapia Cavalo Amigo. É membro do Núcleo de Estudos em História e Memória do Esporte e da Educação Física (NEHME) da ESEF/UFRGS, atuando principalmente no tema das práticas esportivas equestres.

Janice Zarpellon Mazo, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Professora dos cursos de Licenciatura e Bacharelado em Educação Física e do Programa de Pós-Graduação em Ciências do Movimento Humano da ESEF/UFRGS. Tutora do Programa de Educação Tutorial da Educação Física da UFRGS. Realiza pesquisas em História do Esporte e da Educação Física e Estudos Olímpicos.

Publicado

2013-08-31

Como Citar

SILVA, C. F. da; PEREIRA, E. L.; MAZO, J. Z. GRÊMIO DE REGATAS ALMIRANTE TAMANDARÉ: UMA AMEAÇA AO IMPÉRIO IDENTITÁRIO TEUTO-BRASILEIRO NO CENÁRIO DO REMO PORTO-ALEGRENSE. Movimento, [S. l.], v. 20, n. 1, p. 59–79, 2013. DOI: 10.22456/1982-8918.37783. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/Movimento/article/view/37783. Acesso em: 2 jul. 2022.

Edição

Seção

Artigos Originais