O tratamento temático da informação em instrumentos normativos de descrição arquivística

Autores

  • Leolíbia Luana Linden Universidade Federal de Santa Catarina
  • Marisa Bräscher Universidade Federal de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.19132/1808-5245243.96-124

Palavras-chave:

Descrição arquivística. Tratamento temático da informação. Instrumentos normativos de descrição arquivística. Arquivologia.

Resumo

O estudo analisa Instrumentos Normativos de Descrição Arquivística desenvolvidos em diferentes países, a fim de verificar a descrição de conteúdo nestes documentos. Trata das vertentes teóricas do Tratamento Temático da Informação: catalogação de assunto, indexação e análise documental, assim como seus respectivos objetos: produtos, instrumentos e processos. Apresenta correntes teóricas do pensamento arquivístico: tradicional, records management e integrada, assim como, discorre sobre o histórico da descrição arquivística e o desenvolvimento de manuais, normas e orientações que foram criadas na intenção de padronizar o processo de descrição arquivística. Realiza levantamento de Instrumentos Normativos de Descrição Arquivística em diferentes países, tendo sido coletados e caracterizados 12 que se apresentam em línguas portuguesa, espanhola e inglesa. Dentre esses, foram selecionados oito Instrumentos Normativos de Descrição Arquivística que contemplam a descrição de conteúdo em sua estrutura, possibilitando, assim, a análise da existência ou não de características das vertentes teóricas do Tratamento Temático da Informação e a identificação dos aspectos indicados pela literatura da área de TTI: processos, produtos e instrumentos. Conclui-se que documentos de arquivo apresentam características específicas que precisam ser analisadas de forma diferente dos bibliográficos. No entanto, é possível estabelecer diálogo entre as áreas de Tratamento Temático da Informação e Arquivologia, visando à melhoria do acesso à informação. Contribui-se com a transposição desses conceitos e teorias, oriundos da Ciência da Informação, ao contexto do documento de arquivo e com as discussões acerca do desenvolvimento teórico e prático do Tratamento Temático da Informação na Arquivologia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Leolíbia Luana Linden, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutoranda

Marisa Bräscher, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutora

Referências

AGUIAR, Francisco Lopes de; KOBASHI, Nair Yumiko. Organização e representação do conhecimento: perspectivas de interlocução interdisciplinar entre Ciência da Informação e Arquivologia. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO, 14., 2013, Florianópolis. Anais... Florianópolis: ENANCIB, 2013.

ASSOCIAÇÃO DOS ARQUIVISTAS HOLANDESES. Manual de arranjo e descrição de arquivos. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 1973.

BARITÉ, Mario. Referenciales teóricos vigentes en el área de tratamiento temático de la información y su expresión metodológica. Porto Alegre: ABEBD, 1998. Relatório técnico do II Encontro de Dirigentes dos cursos superiores de Biblioteconomia dos países do Mercosul, Buenos Aires, nov. 1997.

BARITÉ, Mario. Organización del Conocimiento: un nuevo marco teórico-conceptual en Bibliotecología y Documentación. In: CARRARA, Kester (Org.). Educação, universidade e pesquisa. Marília: Editora UNESP, 2001. p. 35-50.

BATLEY, Sue. Classification in theory and practice. Oxford: Chandos, 2005.

BELLOTTO, Heloísa Liberalli. Arquivos permanentes: tratamento documental. 4. ed. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2006.

BRASCHER, Marisa; CAFÉ, Lígia. Organização da informação ou organização do conhecimento?. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO, 9., 2008, São Paulo. Anais... São Paulo: ENANCIB, 2008. p. 1-14.

CHAUMIER, Jacques. Analyse et langages documentaires: Le traitement linguistique de l´information documentaire. Paris: Entreprise Moderne d´Edition, 1982.

COATES, Eric James. Subject catalogues: headings and structure. London: The Library Association, 1988.

CONSELHO INTERNACIONAL DE ARQUIVOS. Dicionário brasileiro de terminologia arquivística. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2005.

CONSELHO INTERNACIONAL DE ARQUIVOS. ISAD(G): Norma Internacional de Descrição Arquivística. 2. ed. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2000. (Publicações técnicas, n. 49).

COOK, Terry. What is past is prologue: a history of archival ideas since 1898, and the future paradigm shift. Archivaria, Ottawa, n.43, 1997.

DAHLBERG, I. Knowledge organization: its scope and possibilities. Knowledge Organization, Frankfurt, v. 20, n. 4, p.211-222, 1993.

DAHLBERG , I. Current trends in knowledge organization. In: GARCIA, Marco F. J. (Org.). Organización del conocimiento em sistemas de información y documentación. Zaragoza: Universidad de Zaragoza, 1995. P. 7-25.

DIAS, Eduardo Wense; NAVES,Madalena Martins Lopes. Análise de assunto: teoria e prática. Brasília: Thesaurus, 2007.

DURANTI, Luciana. Origin and development of the concept of archival description. Archivaria: the journal of the Association of Canadian Archivists, Ottawa, n. 35, p. 47-54, 1993.

FONSECA, Maria Odila Kahl. A Arquivologia e Ciência da Informação. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2005. 124 p.

GUIMARÃES, José Augusto Chaves. Abordagens teóricas de tratamento temático da informação: catalogação de assunto, indexação e análise documental. In: GARCIA MARCO, F. J. (Org.). Avances y perspectivas em sistemas de información y documentación y entorno digital. Zaragoza: Prensas Universitarias de Zaragoza, 2009. p. 105-117.

GUIMARÃES, José Augusto Chaves. Slanted knowledge organization as a new ethical perspective. In: ANDERSEN, Jack; SKOUVIG, Laura. The Organization of Knowledge: Caught between Global Structures and Local Meaning. 12. ed. Copenhague: Emerald Insight, 2017. Cap. 6. p. 87-102.

GUINCHAT, Claire; MENOU, Michel. Introdução geral às ciências e técnicas da informação e documentação. 2. ed. Brasília: IBICT, 1994.

HAGEN, Acácia Maria Maduro. Algumas considerações a partir do processo de padronização da descrição arquivística. Ciência da Informação, Brasília, v. 27 n. 3, 1998.

HERRERA, Antonia Heredia. Archivistica general. Teoria y practica. Sevilla: Diputación de Sevilla, 1991.

LAKATOS, Eva Maria; MARCONI, Marina de Andrade. Projeto e relatório de pesquisa. In: LAKATOS, Eva Maria; Marconi, Maria de Andrade. Metodologia do trabalho científico: procedimentos básicos, pesquisa bibliográfica, projeto e relatório, publicações e trabalhos científicos. 7. ed. São Paulo: Atlas, 2009.

LIMA, José Leonardo Oliveira; ALVARES, Lilian. Orgnização e representação da informação e do conhecimento: In: ALVARES, Lilian (Org.). Organização da informação e do conhecimento: conceitos, subsídios interdsiciplinares e aplicações. São Paulo: B4 Editores, 2012, p.21-48.

LOPES, Luis Carlos. A nova arquivística na modernização administrativa. 2. ed. Brasília: Projeto Editorial 2009. 416 p.

RIBEIRO, Fernanda. A Arquivística como disciplina aplicada no campo da Ciência da Informação. Perspectivas em Gestão & Conhecimento, João Pessoa, v. 1, n. 1, p. 59-73, jan./jun. 2011.

RIBEIRO, Fernanda. Indexação e controle de autoridade em arquivos. Porto: Camara Municipal, 1996.

RODRIGUES, Georgete Medleg. A representação da informação em arquivística: uma abordagem a partir da Norma Internacional de Descrição Arquivística. In: RODRIGUES, Georgete Medleg; LOPES, Ilza L. (Org.). Organização e representação do conhecimento. Brasília: Thesaurus, 2003. Cap. 8.

ROUSSEAU, Jean-Yves; COUTURE, Carol. Os fundamentos da disciplina arquivística. Lisboa: Publicações D. Quixote, 1998.

SCHELLENBERG, Theodore Roosevelt. Documentos públicos e privados: arranjo e descrição. Rio de Janeiro: Editora Fundação Getúlio Vargas, 1980.

STAPLETON, Richard. Jenkinson and Schellenberg: a comparison. Archivaria, Ottawa, n. 17, p. 75-85, 1983.

Downloads

Publicado

2018-08-27

Como Citar

LINDEN, L. L.; BRÄSCHER, M. O tratamento temático da informação em instrumentos normativos de descrição arquivística. Em Questão, Porto Alegre, v. 24, n. 3, p. 96–124, 2018. DOI: 10.19132/1808-5245243.96-124. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/EmQuestao/article/view/78396. Acesso em: 21 fev. 2024.

Edição

Seção

Artigo