Comunicação Organizacional e Gestão do Conhecimento: interface entre áreas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.19132/1808-5245272.267-293

Palavras-chave:

Comunicação interna, Compartilhamento de informação, Criação de conhecimento, Contexto capacitante, Interdisciplinaridade

Resumo

O trabalho relata uma pesquisa, de natureza interdisciplinar, que descreve práticas e abordagens gerenciais da comunicação organizacional e da gestão do conhecimento, identificando interface entre as áreas. Trata-se de uma pesquisa descritiva, com base em um estudo de caso realizado em uma empresa do setor de serviços e produtos de aluguel de automóveis. Os dados obtidos referendam os paradigmas relacional da comunicação e do conhecimento organizacional como os mais adequados para a promoção do diálogo interpessoal no ambiente do trabalho. O estudo evidencia a importância da formação de contextos capacitantes propícios para o compartilhamento da informação e a criação de conhecimento no âmbito da organização estudada. Os resultados demonstram que os contextos capacitantes estimulam a promoção do compromisso dos públicos internos para com a organização, a conscientização sobre mudanças no ambiente corporativo, a compreensão da evolução dos objetivos organizacionais e a sensação de pertencimento à organização. Os resultados também evidenciam a relevância da comunicação interna para o compartilhamento da informação e a criação de conhecimento organizacional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ariane Barbosa Lemos, Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG)

Doutora

Ricardo Rodrigues Barbosa, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

Doutor

Referências

ALVARENGA NETO, R. C. D. de. Fazendo a inovação acontecer. São Paulo: Planeta, 2018.

ARAÚJO, C. A. A. Um mapa conceitual da Ciência da Informação: história, subáreas e paradigmas. Convergências em Ciência da Informação, São Cristóvão, v. 1, n. 1, p. 45-70, jan./abr. 2018.

BARRETO, A. A condição da informação. In: STAREC, C.; GOMES, E. B. P.; CHAVES, J. B. L. (org.). Gestão estratégica da informação e inteligência competitiva. São Paulo: Saraiva, 2005. p. 3-16.

CAPURRO, R.; HJORLAND, B. O conceito de informação. Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v. 12, n. 1, p. 148-207, jan./abr. 2007.

CHOO, C. W. The knowing organization: How organizations use information to construct meaning, create knowledge, and make decisions. New York: Oxford University Press, 1998.

CONSTANTIN, E. C.; BAIAS, C. C. Employee voice-key factor in internal communication. Procedia - Social and Behavioral Sciences, [s. l.], n. 191, p. 975-978, 2015.

DAVENPORT, T. H.; PRUSAK, L. Working knowledge: How organizations manage what they know. Brighton: Harvard Business Press, 1998.

DIXON, N.; STROH, J. The three eras of knowledge management. Common Knowledge Associates, [s. l.], 2017. Disponível em: http://www.commonknowledge.org/the-3-eras-of-km.html. Acesso em: 09 fev. 2021.

DRIGO, E. et al. Analysis of operational communication throught structural equation modeling. IEEE Access, [s. l.], v. 8, p. 121705-121723, 2020.

FRANÇA, V. V. O objeto da comunicação/a comunicação como objeto. In: HOHLFELDT, A.; MARTINO, L. C.; FRANÇA, V. V. (org.). Teorias da comunicação: conceitos, escolas e tendências. 10. ed. Petrópolis: Vozes, 2010. p. 39-60.

GARCÍA-FERNÁNDEZ, M. How to measure: knowledge management: dimensions and model. Vine, [s. l.], v. 45, n. 1, p. 107-125, 2015.

GUTIÉRREZ-GARCÍA, E. et al. Reinventing the wheel?: a comparative overview of the concept of dialogue. Public Relations Review, [s. l.], v. 41, n. 5, p. 744-753, dez. 2015.

JOHANSEN, T. S.; ANDERSEN, S. E. Co-creating ONE: rethinking integration within communication. Corporate Communications: An International Journal, [s. l.], v. 17, n. 3, p. 272-288, 2012.

KALLA, H. K. Integrated internal communications: a multidisciplinary perspective. Corporate Communications: An International Journal, [s. l.], v. 10, p. 302-314, 2005.

KUNSCH, M. M. K. Planejamento estratégico da comunicação. In: KUNSCH, M. M. K. (org.). Gestão estratégica, comunicação organizacional e relações públicas. Caetano do Sul: Difusora Editora, 2008. p. 107-124.

LIMA, F.; BASTOS, F. Comunicação no contexto organizacional: afinal, o que é mesmo que estudamos? In: CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO, 31., 2008, Natal. Anais [...]. São Paulo: INTERCOM, 2008. p. 1-15.

LOUHIALA-SALMINEN, L.; KANKAANRANTA, A. Language as an issue in international internal communication: English or local language? If English, what English?. Public Relations Review, [s. l.], n. 38, p. 262-269, 2012.

MARCHIORI, M. Cultura Organizacional: um olhar estratégico sobre a organização. São Caetano, São Paulo: Difusão Editora, 2006.

MEN, L. R. The internal communication role of the chief executive officer: communication channels, style, and effectiveness. Public Relations Review, [s. l.], n. 41, p. 461-471, 2015.

MINTZBERG, H. Criando organizações eficazes. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2003.

NONAKA, I.; KONNO, N. The concept of “ba”: Building a foundation for knowledge creation. California Management Review, [s. l.], n. 40, p. 40-54, 1998.

NONAKA, I.; TAKEUCHI, H. The knowledge creating company: How japanese companies create the dynamics of innovation. New York: Oxford University Press, 1995.

PIZZAIA. A. et al. O papel da comunicação na gestão do conhecimento: aspectos relevantes e estímulo a novas pesquisas. Perspectivas em Gestão & Conhecimento, João Pessoa, v. 8, n. 2, p. 62-81, maio/ago. 2018.

POLLACH, I. et al. The integration of CSR into corporate communication in large European companies. Journal of Communication Management, [s. l.], v. 16, n. 2, p. 204-216, 2012.

SAGSAN. M. Knowledge management discipline: test for an undergraduate program in Turkey. Electronic Journal of Knowledge Management, Sonning Common, [s. l.], v. 7, n. 5, p. 627-636, 2009.

SCHEIN, E. H. Cultura organizacional e liderança. São Paulo: Atlas, 2004.

SELTZER, T. et al. PR in the ER: managing internal organization-public relationships in a hospital emergency department. Public Relations Review, [s. l.], n. 38, p. 128-136, 2012.

SHANNON, C.; WEAVER, W. The mathematical theory of communication. Urbana: University of Illinois Press, 1972.

SIMON, H. A. Comportamento administrativo. 2. ed. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 1971.

VALENTIM, M. L. P.; ZWARETCH, N. S. Comunicação organizacional/Comunicação informacional no processo de inteligência competitiva organizacional. In: VALENTIM, M. L. P. (org.). Informação, conhecimento e inteligência organizacional. 2. ed. Marília: FUNDEPE, 2006. p. 45-59.

VERCIC, A. T. et al. Internal communication: definition, parameters, and the future. Public Relations Review, [s. l.], n. 38, p. 223-230, 2012.

WELCH, M. Appropriateness and acceptability: employee perspectives of internal communication. Public Relations Review, [s. l.], n. 38, p. 246-254, 2012.

WOIDA, L. M.; VALENTIM, M. L. P. Cultura organizacional/Cultura informacional: a base do processo de inteligência competitiva organizacional. In: VALENTIM, M. L. P. (org.). Informação, conhecimento e inteligência organizacional. 2. ed. Marília: FUNDEPE, 2006. p. 25-44.

YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 5. ed. Porto Alegre: Bookman, 2015.

Downloads

Publicado

2021-03-26

Como Citar

LEMOS, A. B.; BARBOSA, R. R. Comunicação Organizacional e Gestão do Conhecimento: interface entre áreas. Em Questão, Porto Alegre, v. 27, n. 2, p. 267–293, 2021. DOI: 10.19132/1808-5245272.267-293. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/EmQuestao/article/view/103913. Acesso em: 29 fev. 2024.

Edição

Seção

Artigo