Trabalho Docente e Avaliação da Capes: estranhamento e naturalização

Andreza Cristina Souza Paula Ferreira, Alvanize Valente Fernandes Ferenc, Joyce Wassem

Resumo


Este artigo analisa as condições de trabalho docente a partir das relações estabelecidas com as políticas de avaliação da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), em especial, expressas no Plano Nacional de Pós-Graduação (PNPG 2011-2020).A pesquisa contou com a participação de docentes de dois PPG em Educação (PPGE) de universidades públicas mineiras e a coleta de dados ocorreu por meio de entrevistas semiestruturadas e análise documental. Como resultados verificou-se que apesar dos descontentamentos, contradições e estranhamentos na prática docente em PPGE, a capacidade de resistência é arrefecida e os docentes passam a conceber com naturalidade o modo de trabalho, as condições de produção e de avaliação.

Palavras-chave


Condições de Trabalho Docente; Avaliação; CAPES; Programas de Pós-Graduação em Educação



Direitos autorais 2018 Revista Educação & Realidade

Educação & Realidade - ISSN 0100-3143 (impresso) e 2175-6236 (online)

 

Licença Creative Commons
Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

 

Apoio e Indexação:

LATINDEX

 

Crossref Similarity Check logo