Morte da Infância Moderna ou Construção da Quimera Infantil?

Dora Lilia Marín-Díaz

Resumo


A
emergência, no saber pedagógico da Modernidade, de duas figuras infantis – uma clássica
e outra liberal – e a difusão ampla, massiva e conflitante de práticas relativas à
segunda, no último século, são os argumentos que apresento neste artigo para dialogar
com os discursos sobre a morte da infância moderna e/ou a emergência de uma figura
infantil pós-moderna nas condições contemporâneas. Discuto que tal processo ternos-
ia levado à produção de um amplo campo discursivo sobre a infância e, com ele, à
emergência de uma quimera infantil: uma forma de subjetividade na qual se combinam
os mais heterogêneos, incongruentes e diversos elementos e características que atribuímos
às crianças.


Palavras-chave


Infância Moderna. Campo Discursivo. Quimera Infantil.

Texto completo:

PDF


Direitos autorais

Educação & Realidade - ISSN 0100-3143 (impresso) e 2175-6236 (online)

 

Licença Creative Commons
Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

 

Apoio e Indexação:

LATINDEX

 

Crossref Similarity Check logo