AS IMPLICAÇÕES DO COACHING SCIENCE NOS ESPORTES DE AVENTURA: UM ESTUDO DE REVISÃO SISTEMÁTICA

Tayná Iha, Vitor Ciampolini, Vinicius Zeilmann Brasil, Michel Milistetd

Resumo


O objetivo deste estudo foi analisar a produção científica sobre o coaching nos esportes de aventura, de modo a identificar as características dos artigos, os direcionamentos metodológicos e as tendências temáticas. Para a obtenção dos artigos foi realizada uma revisão sistemática segundo as orientações do ENTREQ e PRISMA. Foram selecionados 24 artigos indexados nas bases de dados Scielo, SPORTDiscus, Web of Science, PubMed e PsycINFO. Os artigos incluídos foram, em sua maioria, publicados nos últimos cinco anos e originários do Reino Unido. O método mais utilizado foi o qualitativo, pelas técnicas de entrevistas e observações. Já as tendências temáticas dividiram-se em: atuação e desenvolvimento do treinador de esportes de aventura (TEA). Conclui-se que as características do ambiente de prática (ex: risco e instabilidade) é o que influencia diretamente a atuação e desenvolvimento do TEA. Apesar desta área ser recente, acredita-se que ela já apresenta conhecimentos de base para estudos futuros.

Palavras-chave


Treinador. Treinamento. Ensino. Esporte Radical.

Texto completo:

PDF-POR


DOI: https://doi.org/10.22456/1982-8918.95536

Direitos autorais 2020 Movimento (ESEFID/UFRGS)

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

 

Movimento
Escola de Educação Física, Fisioterapia e Dança | Universidade Federal do Rio Grande do Sul | UFRGS
Endereço: Rua Felizardo, 750, Jardim Botânico, Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil, CEP 90690-200
E-mail: movimento@ufrgs.br
 

Bases de Dados Indexadoras

 

                            

 

Apoio

 

        

 

Licença de cópias e declaração de boas práticas de avaliação

 

 Licença Creative CommonsSan Francisco Declaration on Research Assessment