FUTEBOL, NAÇÃO E MULHERES NA ARGENTINA: REDEFININDO O CAMPO DO PODER

Verónica Moreira, Gabriela Garton

Resumo


Quem tem protagonizado os relatos sobre a nação? Quem tem narrado as histórias sobre o esporte, o futebol e a pátria? Que instituições foram centrais nessas construções? O que aconteceu com as mulheres? Quais têm sido os argumentos para excluírlas do campo de jogo? Estas e outras perguntas organizam o presente artigo que tem como meta refletir em torno ao esporte como prática generificada e generificadora, como um espaço de produção de desigualdades e, também, de oportunidades. Os dados que sustentam o argumento deste artigo provém da análise de entrevistas e conversas informais que tivemos com as jogadoras da Seleção Nacional de Futebol e de equipes da liga oficial da Associação de Futebol Argentino (AFA) e das notícias da edição online do jornal Olé durante a Copa do Mundo de Futebol Feminino de 2019 na França.

 


Palavras-chave


Futebol. Nação. Mulheres.



DOI: https://doi.org/10.22456/1982-8918.109761

Direitos autorais 2021 Movimento (ESEFID/UFRGS)

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.


Movimento

Escola de Educação Física, Fisioterapia e Dança | Universidade Federal do Rio Grande do Sul | UFRGS
Endereço: Rua Felizardo, 750, Jardim Botânico, Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil, CEP 90690-200
E-mail: movimento@ufrgs.br
 

Bases de Dados Indexadoras

 

                            

 

Apoio

 

 

Licença de cópias e declaração de boas práticas de avaliação

 

 Licença Creative CommonsSan Francisco Declaration on Research Assessment