O PROCESSO DE CRIAÇÃO GRUPAL NAS ATIVIDADES ARTÍSTICO-EXPRESSIVAS COMO CENÁRIO PARA NEGOCIAÇÃO E A RESOLUÇÃO DE CONFLITOS

Inma Canales-Lacruz, Alba González-Palomares, Gloria Rovira

Resumo


Este artigo identifica os fatores da interação social que facilitam e dificultam o processo de criação grupal para a elaboração de uma composição cênica. A mostra está formada por 105 estudantes universitarios – sendo 85 homens e 20 mulheres – com uma média de idade de 19.99 ± 2.78 anos e relacionados à Faculdade de Ciências da Atividade Física e Esporte em EUSES, Universidade de Girona (Espanha). Cada grupo elaborou um informe sobre o processo de criação no qual se demonstravam as dificuldades e facilidades frente tal composição durante as sessões práticas da matéria de Dança e Expressão Corporal. Posteriormente se realizou a análise de conteúdo de tais informes grupais. Para o tratamento dos dados foi utilizado o Nvivo 11. Os resultados mostraram que: a) a interação social facilita o processo de criação grupal; b) o consenso é o principal fator da interação social que facilita o processo de criação grupal.

 



Palavras-chave


Dança. Consenso. Relações Interpessoais. Criatividade.



DOI: https://doi.org/10.22456/1982-8918.105472

Direitos autorais 2020 Movimento (ESEFID/UFRGS)

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.


Movimento

Escola de Educação Física, Fisioterapia e Dança | Universidade Federal do Rio Grande do Sul | UFRGS
Endereço: Rua Felizardo, 750, Jardim Botânico, Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil, CEP 90690-200
E-mail: movimento@ufrgs.br
 

Bases de Dados Indexadoras

 

                            

 

Apoio

 

 

Licença de cópias e declaração de boas práticas de avaliação

 

 Licença Creative CommonsSan Francisco Declaration on Research Assessment