A OPINIÃO DE ATLETAS E TREINADORES DE VOLEIBOL SOBRE A PARTICIPAÇÃO DE MULHERES TRANS

Rafael Marques Garcia, Erik Giuseppe Barbosa Pereira

Resumo


Objetivamos averiguar a opinião de atletas e treinadores de voleibol sobre a participação de mulheres trans no voleibol feminino a partir do caso da atleta Tifanny Abreu. Para nortear esse objetivo, indagamos: qual o posicionamento dos(as) envolvidos(as) acerca dessa atuação e como estruturam e apresentam seu ponto de vista? Coletamos 38 reportagens do site esportivo globoesporte.com que tratavam sobre a participação trans no voleibol a partir do caso de Tifanny. Desse total, apenas 11 coberturas traziam o depoimento de 9 atletas e 4 treinadores, que foram analisados pela técnica de análise de discurso. Como resultados, percebemos que o grupo estudado foi, em maioria, contrário a essa inserção e atuação com base em normas biomédicas e fisiológicas cis-heteronormativas. Entretanto, registraramse manifestações mais cautelosas sobre o assunto, legitimando a participação de acordo com as recomendações das confederações e federações que regem as modalidades esportivas.

 


Palavras-chave


Esportes. Voleibol. Pessoas transgênero.

Texto completo:

PDF-POR


DOI: https://doi.org/10.22456/1982-8918.101993

Direitos autorais 2020 Movimento (ESEFID/UFRGS)

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.


Movimento

Escola de Educação Física, Fisioterapia e Dança | Universidade Federal do Rio Grande do Sul | UFRGS
Endereço: Rua Felizardo, 750, Jardim Botânico, Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil, CEP 90690-200
E-mail: movimento@ufrgs.br
 

Bases de Dados Indexadoras

 

                            

 

Apoio

 

        

 

Licença de cópias e declaração de boas práticas de avaliação

 

 Licença Creative CommonsSan Francisco Declaration on Research Assessment