A importância da mediação comunicativa da informação na prática bibliotecária

Jetur Lima de Castro, Luiz Eduardo Ferreira da Silva, Alessandra Nunes de Oliveira

Resumo


Considerando que ações comunicativas possibilitam práticas relacionais que percorrem para além da transferência de conhecimento nas atividades bibliotecárias, objetiva-se analisar a importância da Mediação da Informação como ação de libertação coletiva na prática dos bibliotecários. Para isso, buscou-se um estudo teórico, cujo desenvolvimento se baseou na idéia de ação comunicativa de Jurgen Habermas, a partir da autorreflexão. Assim, notase que, na prática bibliotecária a Mediação da Informação, prevalece na racionalidade instrumental da técnica e, por esta razão precisa, portanto, percorrer o plano de ações comunicativas e emancipadas. Embora o assunto estudado seja explorado pela literatura, deve-se considerar que seus fundamentos teóricos e práticos ainda não foram projetados criticamente, especialmente ao avaliarem as “novas” relações de debate em seu ambiente e um novo significado nas práticas bibliotecárias.  


Palavras-chave


Ação Comunicativa. Razão Instrumental. Emancipação. Mediação. Bibliotecário.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.19132/1808-5245262.286-305



Em Questão | ISSN 1808-5245 | EQ no Facebook | EQ no Google Scholar

Classificação Qualis: A2 - Comunicação e Informação; B2 - Ciências Ambientais; B3 - Administração, Ciências Contábeis e Turismo; B4 - Sociologia; B5 - Engenharias I.

Programa de Pós-graduação em Comunicação  | Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Rua Ramiro Barcelos, 2705, sala 519 | CEP 90035-007 | Porto Alegre, RS, Brasil | Fone: (51) 3308 2141| E-mail: emquestao @ufrgs.br 

Membro da Associação Brasileira de Editores Científicos 

Signatária do San Francisco Declaration on Research Assessment (DORA)