(Re)visitando o Estado Novo no Brasil: uma análise da censura e a difusão cultural dos livros nas bibliotecas

Autores

  • Alessandra Nunes de Oliveira UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
  • Luiz Eduardo Ferreira da Silva UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA
  • Jetur Lima de Castro UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ http://orcid.org/0000-0002-6445-4576

DOI:

https://doi.org/10.19132/1808-5245243.125-151

Palavras-chave:

Estado Novo - Brasil. Instituto Nacional do Livro. Censura. Livros. Bibliotecas.

Resumo

O artigo traz uma discussão sobre as relações da censura com as medidas de implementação da difusão cultural dos livros nas bibliotecas no Estado Novo no Brasil. Configura-se como uma abordagem teórica de cunho histórico, bibliográfico e documental, em que foi adotado o conhecimento indiciário sobre as quais evidenciam-se os aspectos interpretativos de outras formas do saber que partilham das pistas e das pegadas por meio do conhecimento indireto.  São feitas considerações sobre o desenvolvimento do Instituto Nacional do Livro nas bibliotecas, sob a influência do Estado Novista, e sobre a relação da censura com o Departamento de Imprensa e Propaganda, com o qual estava coligada aos interesses do governo em questão em relação à expansão e à difusão dos livros. Considera-se que o livro e a leitura foram um esforço grande na política de Vargas com o Estado Novo, com a criação do Instituto Nacional do Livro, um ato perigoso, diga-se, na propaganda, instanciado em nome da moral e dos bons costumes e, por conseguinte, alvo da censura e da repressão à liberdade de expressão de grandes autores brasileiros citados no estudo, como Jorge Amado, Monteiro Lobato, Cecília Meireles e José Lins do Rego. Portanto, é necessário questionar, visto que ainda há uma tendência aos vestígios conservadores, como o do Estado Novo, devido às tradições habituais instauradas nos ambientes de trabalho, ao clima de vigilância nas instituições e às políticas comuns em bibliotecas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alessandra Nunes de Oliveira, UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ

Mestranda em Ciências da Comunicação pelo Programa de Pós-Graduação Comunicação, Cultura e Amazônia da Universidade Federal do Pará (PPGCOM-UFPA). Graduada em Biblioteconomia  pela Universidade Federal do Pará.

Luiz Eduardo Ferreira da Silva, UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA

Professor adjunto do curso de Arquivologia da Universidade Federal do Paraíba (UFPB). Doutor em Ciência da Informação - UFPB. Mestre em Ciência da Informação - UFPB. Graduado em Arquivologia pela Universidade Federal da Paraíba e História  pela Universidade Estadual da Paraíba (UEPB).

Jetur Lima de Castro, UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ

Mestrando em Ciências da Comunicação pelo Programa de Pós-Graduação Comunicação, Cultura e Amazônia da Universidade Federal do Pará (PPGCOM-UFPA). Graduado em Biblioteconomia pela Universidade Federal do Pará - Campus Belém. Pesquisador na Rede Brasileira de Preservação Digital (Rede Cariniana) - IBICT.

Downloads

Publicado

2018-08-27

Como Citar

OLIVEIRA, A. N. de; SILVA, L. E. F. da; CASTRO, J. L. de. (Re)visitando o Estado Novo no Brasil: uma análise da censura e a difusão cultural dos livros nas bibliotecas. Em Questão, Porto Alegre, v. 24, n. 3, p. 125–151, 2018. DOI: 10.19132/1808-5245243.125-151. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/EmQuestao/article/view/80013. Acesso em: 5 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos