GO FAIR e os princípios FAIR: o que representam para a expansão dos dados de pesquisa no âmbito da Ciência Aberta

Autores

  • Patricia Corrêa Henning Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - UNIRIO
  • Claudio José Silva Ribeiro Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - UNIRIO
  • Luiz Olavo Bonino da Silva Santos Leiden University Medical Center
  • Paula Xavier dos Santos Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ)

DOI:

https://doi.org/10.19132/1808-5245252.389-412

Palavras-chave:

Ciência aberta, Dados abertos, Gestão de dados, Princípios FAIR, GO FAIR.

Resumo

Este artigo tem o objetivo de apresentar os princípios FAIR e a iniciativa Global Open FAIR que busca disseminar esses princípios em todos os países interessados na aplicação dos dados FAIR (Findable, Accessible, Interoperable, Reusable) em seus serviços de informação. Propõe ainda a divulgação e capacitação de instituições de ensino e pesquisa nesses princípios, com o intuito de promover a normalização no tratamento da gestão dos dados garantindo a interoperabilidade entre eles. Como procedimento metodológico, utiliza a revisão bibliográfica e documental para o embasamento teórico sobre ciência aberta, acesso aberto à informação científica e aos dados de pesquisa, visando fundamentar os princípios FAIR em aplicações e serviços de gestão de dados de pesquisa. Ressalta a importância desse tipo de iniciativa para a expansão mundial de abertura dos dados de pesquisa no âmbito da ciência aberta. Ao final, aponta para a necessidade de uma mudança nos processos de pesquisa em ciência e tecnologia na direção da adoção desses princípios.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Patricia Corrêa Henning, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - UNIRIO

Doutora em Informação e Comunicação em Saúde pelo Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde (ICICT/FIOCRUZ) em 2013, mestre em Ciência da Informação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ/IBICT) em 1993, graduada em Relações Internacionais pela Universidade de Brasília (UNB) em 1986. Professora permanente do Programa de Pós-graduação em Biblioteconomia (PPGB) da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO), responsável pela disciplina Ciência Aberta. 

Claudio José Silva Ribeiro, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - UNIRIO

Doutor em Ciência da Informação pelo convênio Universidade Federal Fluminense/MCT-IBICT, mestre em Ciência da Informação pela UFRJ/MCT-IBICT (2001) e MBA em Gestão do Conhecimento pela COPPE/UFRJ-Dataprev (2005). Possui graduação em Engenharia Civil pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (1984) e extensão em Análise de Sistemas pela PUC-RJ (1986). No tema Gestão de Conteúdo possui certificações ECM Practitioner e ECM Specialist, expedidas pela AIIM - Association for Information and Image Management, com sede nos EUA. Tem experiência nas áreas de Ciência da Computação e Ciência da Informação, tanto em trabalhos técnicos quanto em atividades como professor universitário, atuando principalmente nos seguintes temas: análise de domínio, sistemas de informação, arquitetura da informação, Previdência Social, gestão de conteúdo e gestão do conhecimento. É Professor Adjunto da UNIRIO - Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro.

Luiz Olavo Bonino da Silva Santos, Leiden University Medical Center

International Technology Coordinator GO FAIR International Support and Coordination OfficerAssociete Provessor  Leiden University, Medical Center 

Paula Xavier dos Santos, Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ)

Paula Xavier é Coordenadora de Informação e Comunicação da Fiocruz. É professora do Programa de Pós Graduação de Informação e Comunicação em Saúde do Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica/Fiocruz. Possui Mestrado e Doutorado em Ciência da Informação, pelo Instituto Brasileiro de Informação Científica e Tecnonógica (IBICT)/Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Desenvolve pesquisas com foco no papel da informação nas relações entre Ciência, Tecnologia e Inovação em Saúde, especialmente no campo da Gestão da Informação e do Conhecimento. 

Referências

ALBAGLI, Sarita; CLINIO, Anne; RAYCHTOCK, Sabryna. Ciência Aberta: correntes interpretativas e tipos de ação. LIINC em revista, Rio de Janeiro, v. 10, n. 2, 2014.

BUDAPEST OPEN ACCESS INITIATIVE. 2002. Disponível em: https://www.budapestopenaccessinitiative.org/. Acesso em: 8 abr. 2019.

CENTRE FOR RESEARCH DATA - 4TU. 2019. Disponível em: https://www.4tu.nl/en/. Acesso em: 8 abr. 2019.

COSTA, Michelli; LEITE, Fernando César Lima. Princípios e recomendações basilares para a comunicação dos dados de pesquisa. Em Questão, Porto Alegre, v. 23, n. 1, p. 87-112, jan/abr. 2017.

DATA ARCHIVING AND NETWORKED SERVICES. 2019. Disponível em: https://dans.knaw.nl/en. Acesso em: 8 abr. 2019.

DATA FAIRPORT. Jointly designing a data FAIRPORT. 2014. Disponível em: https://www.lorentzcenter.nl/lc/web/2014/602/info.php3?wsid=602. Acesso em: 8 abr. 2019.

DUNNING, Alastair; SMAELE, Madeleine de; BÖHMER, Jasmim. Are the FAIR Data Principles fair? In: INTERNATIONAL DIGITAL CURATION CONFERENCE, 12., 2017, Edinburgh. Anais [...]. 2017.

DUTCH TECHCENTRE FOR LIFE SCIENCES (DTL). GO FAIR initiative. 2017. Disponível em: https://www.dtls.nl/fair-data/go-fair. Acesso em: 8 abr. 2019.

EUROPEAN COMMISSION. Guidelines on open access to scientific publications and research data in Horizon 2020. 2014. Disponível em: https://www.openaire.eu/guidelines-on-open-access-to-scientific-publications-and-research-data-in-horizon-2020. Acesso em: 8 abr. 2019.

EUROPEN COMISSION. Commission High Level Expert Group on the European Open Science Cloud. Realising the European open science cloud. Brussels: European Commission, 2016. Disponível em: https://ec.europa.eu/research/openscience/pdf/realising_the_european_open_science_cloud_2016.pdf. Acesso em: 8 abr. 2019.

EUROPEN COMISSION. Guidelines on FAIR data management in horizon 2020. 2016. Disponível em: http://ec.europa.eu/research/participants/data/ref/h2020/grants_manual/hi/oa_pilot/h2020-hi-oa-data-mgt_en.pdf. Acesso em: 8 abr. 2019.

FORCE11. Guiding principles for findable, accessible, interoperable and re-usable data publishing version b1.0. 2017. Disponível em: https://www.force11.org/node/6062#annex3. Acesso em: 8 abr. 2019.

FUNDAÇÃO DE AMPARO À PESQUISA DO ESTADO DE SÃO PAULO. Plano de gestão de dados. São Paulo, 2017. Disponível em: http://www.fapesp.br/gestaodedados. Acesso em: 8 abr. 2019.

GIGLIA, Elena; SWAN, Alma. Open Access to data for a new open science. European Jornal of Physical and Rehabiltation Medicine, [S. l.], v. 48, n. 4, p. 713-716, dez. 2012.

GO FAIR International Support and Coordination Office. GO FAIR initiative. Leiden, 2018. Disponível em: https://www.go-fair.org/go-fair-initiative/. Acesso em: 8 abr. 2019.

INSTITUTO BRASILEIRO DE INFORMAÇÃO EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA. Plano de dados abertos, 2017-2018. Brasília: IBICT, 2017.

JOINT POSITION PAPER: on the European Open Science Cloud Germany and the Netherlands. 2017. Disponível em: https://www.dtls.nl/wp-content/uploads/2017/05/DE-NL-Joint-Paper-FINAL.pdf. Acesso em: 08 abr. 2019.

JONES, Frances. Editor-chefe da Nature fala sobre a abertura da ciência. Agência FAPESP, São Paulo, 6 mar. 2013.

MARKRAM, Kamila. A ciência aberta pode salvar o planeta. Publicado pelo canal TEDxBrussels. 2017. 1 vídeo (13 min.) Disponível em: https://youtu.be/uPtP6-nAjJ0. Acesso em: 8 abr. 2019.

MENDONÇA, Ana Valéria Machado. O uso da análise do discurso do sujeito coletivo em Ciência da Informação. In: MUELLER, Suzana Pinheiro Machado (org.). Métodos para a pesquisa em Ciência da Informação. Brasília: Thesaurus, 2007.

MONINO, Jean-Louis; SEDKAOUI, Soraya. Open Data: a new challenge. In: MONINO, Jean-Louis; SEDKAOUI, Soraya. Big data, open data and data development. London: Wiley, 2016.

NIELSEN, Michael. Reinventing discovery: the new era of networked science. Princeton, 2012.

OPENAIRE. Open research data pilot in horizon 2020. 2015. Disponível em: https://www.openaire.eu/item/open-research-data-pilot-in-h2020. Acesso em: 8 abr. 2019.

ORGANIZATION FOR ECONOMIC CO-OPERATION AND DEVELOPMENT. OECD principles and guidelines for access to research data from public funding. Paris: OECD, 2007.

PAMPEL, Heinz; DALLMEIER-TIESSEN, Sunjë. Open research data: from vision to practice. In: BARTLING, Sönke; FRIESIKE, Sascha (ed.) Open science: the evolving guide on how the internet is changing research, collaboration and scholarly publishing. Heidelberg: Sönke Bartling German Cancer Research Center, 2014. p. 213-224.

RESEARCH DATA NETHERLANDS. 2019. Disponível em: https://researchdata.nl/en. Acesso em: 8 abr. 2019.

SAYÃO, Luís Fernando; SALES Luana Farias. Guia de gestão de dados de pesquisa para bibliotecários e pesquisadores. Rio de Janeiro: CNEN/IEN, 2015.

SCIENTIFIC ELECTRONIC LIBRARY ONLINE. Princípios reitores FAIR publicados em periódico do Nature Publishing Group. SciELO em Perspectiva, [S.l], 2016.

SURF. About SURF. 2019. Disponível em: https://www.surf.nl/en/about-surf. Acesso em: 8 abr. 2019.

WEZENBEEK, Wilma van et al. Nationaal plan open science. Haia: Ministerie van Onderwijs, Cultuur en Wetenschap, 2017. Disponível em: https://doi.org/10.4233/uuid:9e9fa82e-06c1-4d0d-9e20-5620259a6c65. Acesso em: 17 abr. 2019.

WILKINSON, M. D. et al. The FAIR Guiding Principles for scientific data management and stewardship. Scientific Data, [s. l.], v. 3, article n. 60018, mar. 2016.

Downloads

Publicado

2019-04-26

Como Citar

HENNING, P. C.; RIBEIRO, C. J. S.; DA SILVA SANTOS, L. O. B.; DOS SANTOS, P. X. GO FAIR e os princípios FAIR: o que representam para a expansão dos dados de pesquisa no âmbito da Ciência Aberta. Em Questão, Porto Alegre, v. 25, n. 2, p. 389–412, 2019. DOI: 10.19132/1808-5245252.389-412. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/EmQuestao/article/view/84753. Acesso em: 22 fev. 2024.

Edição

Seção

Artigo