A estética realista dos filmes sobre a ditadura militar no Brasil

Helena Stigger, Cristiane Freitas Gutfreind, Guilherme Brendler

Resumo


O cinema canaliza em seu aporte uma impressão de realidade baseada na experiência empírica do realizador e da sociedade ao qual ele pertence. Em sua condição de discurso, o cinema, assim como todas as formas narrativas, abrange um enunciado e um espectador. Diferentemente de um romance, a “gramática” cinematográfica é composta por um conjunto de elementos como a imagem, som, música entre outros que, organizados, contam uma história. Entretanto, a forma como estes componentes são gravados em imagens e ordenados numa seqüência narrativa não é única. Desta forma, podemos pensar  qual é o propósito de uma escolha estética usual nos filmes Pra frente Brasil e Batismo de Sangue para representar a Ditadura Militar Brasileira.

 


Palavras-chave


Cinema brasileiro; Ditadura militar; Estética

Texto completo:

PDF HTML




Em Questão | ISSN 1808-5245 | EQ no Facebook | EQ no Google Scholar

Classificação Qualis: A2 - Comunicação e Informação; B2 - Ciências Ambientais; B3 - Administração, Ciências Contábeis e Turismo; B4 - Sociologia; B5 - Engenharias I.

Programa de Pós-graduação em Comunicação  | Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Rua Ramiro Barcelos, 2705, sala 519 | CEP 90035-007 | Porto Alegre, RS, Brasil | Fone: (51) 3308 2141| E-mail: emquestao @ufrgs.br 

Membro da Associação Brasileira de Editores Científicos 

Signatária do San Francisco Declaration on Research Assessment (DORA)