Carmelo Bene, uma Máquina de Guerra Gaguejante

Autores

  • Silvia Balestreri (Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS, Porto Alegre, Brasil) Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS, Porto Alegre/RS

Palavras-chave:

Carmelo Bene, Máquina Atorial, Máquina de Guerra, Máquina Gaguejante, Deleuze-Guattari

Resumo

O artigo apresenta uma das temáticas suscitadas pela pesquisa, ainda em andamento, da obra do artista italiano Carmelo Bene. A autora retoma uma relação que já havia feito, no início da pesquisa, entre o conceito beneano de máquina atorial e o conceito deleuze-guattariano de máquina de guerra, acrescentando-lhe elementos de uma abordagem da gagueira em Gilles Deleuze e de materiais e experiências colhidos em pesquisas de campo na Itália e na França nos últimos três anos. A pesquisa teve por objetivo inicial um estudo dos conceitos que Carmelo Bene criou em cena, buscando uma aproximação ao que havia de original em sua obra. A partir do conhecimento da multiplicidade de alianças teóricas e artísticas de Bene, impôs-se a necessidade de interrogar e contaminar os próprios modos de pesquisa e escrita, estabelecendo-se uma produção por fragmentos e aproximações, dentre os quais o presente texto é uma tentativa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Silvia Balestreri (Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS, Porto Alegre, Brasil), Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS, Porto Alegre/RS

Silvia Balestreri é mestre em Psicologia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1991) e doutora em Psicologia pelo Núcleo de Estudos e Pesquisa da Subjetividade da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2004). É Professora Associada 2 no Departamento de Arte Dramática e no Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas do Instituto de Artes da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Tem experiência nas áreas de Artes, com ênfase em Teatro e Psicologia, atuando principalmente nos seguintes temas: teatro e filosofias da diferença, Carmelo Bene, teatro do oprimido e teatro em projetos sociais. Foi coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas da UFRGS e do Fórum de Coordenadores de Programas de Pós-Graduação em Artes/Artes Cênicas no biênio 2011-2012. De 2015 a 2017 coordenou a Comissão de Pesquisa do Instituto de Artes da UFRGS.

Publicado

2017-12-26

Como Citar

Balestreri (Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS, Porto Alegre, Brasil), S. (2017). Carmelo Bene, uma Máquina de Guerra Gaguejante. Revista Brasileira De Estudos Da Presença, 8(1), 82–98. Recuperado de https://seer.ufrgs.br/index.php/presenca/article/view/72337

Edição

Seção

Política em Cena