Notícias

  • Dança, Violência e Conflito - CHAMADA DE ARTIGOS

    2022-08-09

    A Revista Brasileira de Estudos da Presença [Brazilian Journal on Presence Studies], periódico eletrônico de acesso livre e revisão por pares, sem taxas de submissão ou publicação, receberá, até 31 de outubro de 2022, artigos inéditos dentro do escopo do tema DANÇA, VIOLÊNCIA E CONFLITO. 

    Normalmente, a dança implica alegria, libertação e resistência. No entanto, mesmo que o corpo dançante possa desfrutar de momentos de liberdade, o mesmo corpo pode ter que navegar no passado e no presente dos conflitos sociais, das estruturas repressivas, das expropriações e da violência. Esta chamada procura pesquisadores e pesquisadoras que trabalham no campo dos estudos das artes cênicas e da performance para abordar essas forças mais preocupantes que os e as artistas do movimento enfrentam em e através de sua arte. A dança, nesse contexto, pode abranger desde produções encenadas até performances cotidianas em rituais e festas. A violência pode significar uma série de danos corporais, desde a violência catastrófica do colonialismo, a escravização e a expropriação de terras indígenas até a violência lenta experimentada por pessoas que vivem em ambientes tóxicos. A ideia de conflito também pode apontar para diversos confrontos dentro e entre as sociedades. Isso significa que conflito pode abranger tensões causadas por polarização política, guerras culturais, policiamento e a luta por vidas negras, em torno dos direitos de gênero, sexuais ou reprodutivos. O conflito também pode incluir confrontos brutais entre nações em guerra.

    Os artigos para esta seção podem tratar de danças que abordem a violência ou danças que intervêm no conflito social. A violência pode ser simbólica como as danças que encenam aspectos do racismo ou o patrimônio cultural roubado. A violência também poderia ser literal, como as danças que os traficantes de seres humanos usavam para manter os povos escravizados ativos e vivos durante as travessias. Quanto às danças que intervêm no conflito social, isso pode implicar em meditações coreografadas sobre polarização política, racismo, sexismo e homofobia, por exemplo. As danças que intervêm no conflito entre sociedades, nomeadamente aquelas em guerra, podem incluir danças de resistência montadas por uma sociedade invadida ou danças na nação agressora encenadas por aqueles que se opuseram à invasão.

    Algumas perguntas que os artigos podem fazer incluem: que papel a dança desempenha na perpetuação da violência e do conflito? Como as danças abordam e talvez desviam a violência, forjando uma espécie de refúgio, bálsamo ou comunidade vital? Por que as pessoas dançam em tempos de crise aguda como em tempos de guerra? Dançar e assistir dança contribui para minimizar danos sociais, ela pode curar, ambos ou nenhum? Essas perguntas podem ou não fornecer pontos de partida para contribuições para esta questão.

    Esta chamada busca artigos inéditos baseados em pesquisas com, sobre e/ou iniciadas por dança, violência e conflito. Para subsidiar a problematização e os debates que compõem o tema DANÇA, VIOLÊNCIA E CONFLITO, a Revista Brasileira de Estudos da Presença abre espaço para ensaios que exploram o tema a partir de diferentes perspectivas, utilizando metodologias e fontes diversas como arquivos textuais e visuais, processos criativos, etnografia, entrevistas e danças. Nesse sentido, os autores e autoras podem apresentar ensaios teóricos ou artigos baseados em pesquisas que trabalhem com dança, violência e conflito em diferentes contextos ou situações, considerando um ou mais dos seguintes tópicos, ou outros relacionados:

    - Dançar com ou contra a colonização

    - Danças violentas de escravidão

    - Apropriação cultural e estereótipos raciais/étnicos na dança

    - Racismo na dança

    - Dança, deslocamentos e expropriação

    - Dança, Trauma e Memória

    - Dança e Supremacia Branca

    - Contra a Violência de Gênero nas Danças

    - Danças de protesto

    - Polarização Política e Dança

    - Danças durante a guerra

    - Opondo-se a invasões através da coreografia

    - Dançar com ou contra a crise

    - Danças Descolonizadoras

    - Dançar em Contextos Neoliberais

    - Classismo na Formação e Mecenato da Dança

    - Dançar em torno do conflito na sala de aula

    - Dança nas comunidades do narcotráfico

    - Dança e populações vulneráveis em situações de violência

    - Dança, história e violência

    - Dança, performance e conflitos sociais

    - Dança e fobia LGBTQIA+

     

    Assim, a Revista A Brasileira de Estudos da Presença espera receber trabalhos resultantes de estudos que abordem o tema de alguma forma ou que envolvam dança, violência e conflito como ponto de partida para uma discussão mais ampla sobre temas relacionados.

     

    As submissões devem estar de acordo com os padrões da revista e serem postadas diretamente em nosso sistema de submissão, para passar pelo nosso processo geral de avaliação.

     

    Para submeter um artigo a esta chamada é fundamental selecionar a seção correspondente (Dança, Violência e Conflito). Lembramos que o periódico não cobra taxas de submissão, nem de publicação e utiliza o sistema duplo-cego de revisão por pares. O texto pode ser enviado em português, espanhol, inglês ou francês e será publicado em duas línguas. Será solicitado aos autores e autoras que enviarem textos em português ou espanhol (e àqueles[as] lusófonos) que enviem uma tradução em inglês como condição para a publicação dos artigos, uma vez aprovados. A tradução deverá ser realizada por tradutor indicado pela revista e às custas do (a) autor (a). A revista providencia tradução para o português de artigos enviados em inglês ou francês, desde que os autores e as autoras sejam nativos (as) desses idiomas e caso haja recursos financeiros disponíveis no período da edição. Maiores informações podem ser encontradas em nosso website, www.seer.ufrgs.br/presenca; nossas diretrizes podem ser visualizadas em “Diretrizes para Autores”.

    Saiba mais sobre Dança, Violência e Conflito - CHAMADA DE ARTIGOS
  • LANÇAMENTO DE NOVO NÚMERO – PERFORMANCE E FORMAS ANIMADAS

    2022-07-22

    A Revista Brasileira de Estudos da Presença acaba de lançar o número 3, volume 12, referente ao período de julho a setembro de 2022. O número é dedicado ao tema Performance e Formas Animadas e conta com artigos bilíngues de pesquisadores do Brasil e da França. Como de praxe você pode também conferir a seção Outros Temas. Não deixe de acessar em www.seer.ufrgs.br/presenca Para os interessados em publicar é preciso lembrar que a revista segue em fluxo contínuo, recebendo textos em português, espanhol, inglês e francês.

    Saiba mais sobre LANÇAMENTO DE NOVO NÚMERO – PERFORMANCE E FORMAS ANIMADAS