Compreendendo jogos de computador para uma pessoa como sistemas experimentais

Sebastian Möring

Resumo


Esse artigo analisa e teoriza as condições que permitem a compreensão do gameplay de jogos de computador single player (single player computer game play ou SPCGP no original) como parte de uma prática de produção de conhecimento chamada experimentação. Portanto, baseia-se na teoria de sistema experimental de Hans-Jörg Rheinberger. Tal abordagem é uma contribuição útil ao campo da hermenêutica dos jogos de computador, a medida que permite compreender o gameplay como um processo hermenêutico, assim como, descreve em maiores detalhes o círculo hermenêutico de gameplay. O artigo argumenta que, até então, a experimentação nos Game Studies, e na hermenêutica de jogos tem sido equiparada com processos padrões de gameplay. Em outras palavras, todo gameplay é experimentação. Os exemplos, frequentemente mencionados nesses casos são, entretanto, meros dispositivos teste de acordo com a teoria de Rheinberger. A fim de ser um sistema experimental, os jogos de computador precisam ser capazes de produzir inovações reais por si mesmo. Isso, depende por um lado, do nível de complexidade que um determinado jogo exibe, e por outro, do nível de criatividade de dado jogador. Por fim, o artigo sugere que existem apenas quatro casos diferentes nos quais os jogos de computador tornam se geradores reais de surpresas e, portanto, qualificam ou participam de sistemas experimentais que apresentarei e discutirei: glitches em jogos que facilitam as chamadas façanhas em SPCGP; jogos suficientemente complexos, com alto grau de emergência; o processo de produção de jogos de computador; e jogos que historicamente participam do avanço da ciência.

Palavras-chave


Jogos de computador. Single player. Sistemas experimentais. Hermenêutica. Dispositivo de teste.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.19132/1807-8583201946.255-286



Intexto | E-ISSN 1807-8583 | Facebook | Google Scholar 

Classificação Qualis: B1 - Comunicação, Informação, História, Letras/Linguística  | B2 - Psicologia | B3 - Ciência Política e Relações Internacionais, Arquitetura, Urbanismo e Design, Ciências Ambientais, Interdisciplinar | B4 - Sociologia. 

Programa de Pós-graduação em Comunicação | Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Rua Ramiro Barcelos, 2705 sala 519 - Porto Alegre, RS, Brasil | E-mail: Intexto @ufrgs.br

Membro Associação Brasileira de Editores Científicos 

Signatária DORA (San Francisco Declaration on Research Assessment)