TECNOLOGIAS NA ESCRITURA: uma experiência com professoras

Autores

  • Karla Rosane do Amaral Demoly UFRGS
  • Cleci Maraschin UFRGS
  • Margarete Axt UFRGS

DOI:

https://doi.org/10.22456/1679-1916.14634

Palavras-chave:

escrita, tecnologias, diferenças, acoplamento tecnológico

Resumo

Neste estudo procuramos analisar como um grupo de professoras com condições perceptivas diferentes produzem uma escrita na convergência de mídias. Nossa hipótese é de que as práticas de composição escrita na Internet produz novas e inusitadas coordenações de ações, novos modos de escrever. A recursividade constitutiva entre escrita e tecnologia é descrita por vários autores, demonstrando que as tecnologias se transformam em ferramentas constitutivas de modos de pensar e conhecer. Uma escrita que se faz no acoplamento com tecnologias digitais produz uma convergência interativa na qual existe grandes possibilidades de interlocução entre pessoas com diferentes condições perceptivas, pois mudam os modos sensorio-motores de acoplamento com a escrita e as coordenações de ações na rede de conversações escritas tecidas pelas professoras.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Karla Rosane do Amaral Demoly, UFRGS

Doutoranda em Informática na Educação no
PPGIE/UFRGS.

Cleci Maraschin, UFRGS

(Doutora em Educação pela UFRGS, Professora nos Programas
PPGIE/UFRGS e PPGPSI/UFRGS.

Margarete Axt, UFRGS

Doutora em Educação pela UFRGS, Professora nos Programas
PPGIE/UFRGS e PPGEDU/UFRGS

Downloads

Publicado

2008-12-06

Como Citar

DEMOLY, K. R. do A.; MARASCHIN, C.; AXT, M. TECNOLOGIAS NA ESCRITURA: uma experiência com professoras. RENOTE, Porto Alegre, v. 6, n. 2, 2008. DOI: 10.22456/1679-1916.14634. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/renote/article/view/14634. Acesso em: 29 nov. 2022.