Vida artificial e artificialização da vida em Tron

Carolina Dantas Figueiredo

Resumo


O cinema mostra constantemente o embate entre as inteligências artificiais e os homens. A ficção, e mais especificamente a ficção cinematográfica, presta-se a explorar possibilidades perguntando “e se?”. O “se”, neste caso, está relacionado a eventual rebelião das inteligências artificiais, temática explorada nos filmes Tron (1982) e Tron Legacy (2010) que narram o conflito entre programas e usuários. O presente artigo analisa estes filmes, observando particularmente a possibilidade de autonomização dos programas. Por fim, menciona-se brevemente o conceito de ciborgue como possibilidade de resposta às inquietações humanas.


Palavras-chave


Tron. Ficção Científica. Inteligência Artificial. Ciborgue.

Texto completo:

PDF




Intexto | E-ISSN 1807-8583 | Facebook | Google Scholar 

Classificação Qualis: B1 - Comunicação, Informação, História, Letras/Linguística  | B2 - Psicologia | B3 - Ciência Política e Relações Internacionais, Arquitetura, Urbanismo e Design, Ciências Ambientais, Interdisciplinar | B4 - Sociologia. 

Programa de Pós-graduação em Comunicação | Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Rua Ramiro Barcelos, 2705 sala 519 - Porto Alegre, RS, Brasil | E-mail: Intexto @ufrgs.br

Membro Associação Brasileira de Editores Científicos 

Signatária DORA (San Francisco Declaration on Research Assessment)