Estado Nutricional e Fatores de Risco para Desnutrição no Atendimento Nutricional Pediátrico da Admissão Hospitalar

Autores

  • Luciane Beitler da Cruz Hospital de Clínicas
  • Fernanda Odrzywolek Rodrigues
  • Michelle Maksud
  • Marina Zambrano
  • Fabiana Raimundo
  • Cristina Toscani Leal Dornelles Hospital de Clínicas

Palavras-chave:

Atendimento nutricional, fatores de risco para desnutrição

Resumo

Introdução: Desnutrição calórico-proteica em crianças menores de cinco anos é um dos maiores problemas de saúde pública nos países em desenvolvimento. Resulta da interação entre fatores como pobreza, infecções e baixa ingestão calórica e proteica. A avaliação do estado nutricional (EN) na admissão hospitalar é fundamental para estabelecer métodos para a recuperação e/ou manutenção do EN durante a internação e identificar os fatores de risco (FR) para desnutrição.

Objetivo: O objetivo deste estudo foi classificar o EN de crianças e adolescentes e seus FR para desnutrição na admissão hospitalar.

Métodos: Estudo transversal realizado com 387 indivíduos de 0 a 14 anos admitidos em unidades de internação pediátrica. Na avaliação antropométrica, mensurou-se peso e estatura. Os FR para desnutrição incluíam: antropometria, jejum >2 dias, alimentação enteral ou parenteral, disfagia, perda ponderal, vômitos ou diarreia nas últimas 24 horas, febre acima de     37,5o C e risco relacionado ao diagnóstico. O EN foi classificado segundo os critérios da Organização Mundial da Saúde, 2006.

Resultados: Na classificação do EN (N=363) utilizamos escore Z (N=327; 85%) e índice de massa corporal (IMC;        N=36; 9%), e 23 foram avaliados através de protocolos específicos. Encontramos 48% eutróficos, 27% desnutridos, 15% em risco nutricional, 6% com sobrepeso e 4% obesos. Em relação aos FR para desnutrição, 271 (70%) indivíduos apresentavam até 2 FR; 114 (29,5%) de 3 a 5 (p<0,001) e 2 (0,5%) 6 ou mais.

Conclusão: A prevalência de desnutrição e de seus fatores de risco na admissão hospitalar encontrada em crianças e adolescentes foi bastante expressiva. Esse achado é muito relevante, já que a identificação do EN permite uma intervenção nutricional adequada com a prevenção de desfechos clínicos desfavoráveis.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luciane Beitler da Cruz, Hospital de Clínicas

Nutricionista do Hospital de Clínicas de Porto Alegre. Mestre pelo Programa de Pós Graduação em Ciências Médicas: Pediatria, UFRGS.

Fernanda Odrzywolek Rodrigues

Nutricionista, pós-graduanda em Nutrição Clínica pela Universidade Gama Filho e Mestranda pelo Programa de Pós Graduação em Saúde da Criança e do Adolescente, da UFRGS.

Michelle Maksud

Nutricionista, especialista em Nutrição Clínica pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS).

Marina Zambrano

Nutricionista, mestranda pelo Programa de Pós Graduação em Saúde da Criança e do Adolescente, da UFRGS.

Fabiana Raimundo

Nutricionista, mestranda pelo Programa de Pós Graduação em Medicina: Ciências Médicas, da UFRGS

Cristina Toscani Leal Dornelles, Hospital de Clínicas

Nutricionista do Hospital de Clínicas de Porto Alegre. Mestre pelo Programa de pós-graduação em Ciências Médicas: Pediatria, da UFRGS. 

Downloads

Publicado

2009-12-29

Como Citar

1.
Cruz LB da, Rodrigues FO, Maksud M, Zambrano M, Raimundo F, Dornelles CTL. Estado Nutricional e Fatores de Risco para Desnutrição no Atendimento Nutricional Pediátrico da Admissão Hospitalar. Clin Biomed Res [Internet]. 29º de dezembro de 2009 [citado 1º de outubro de 2022];29(3). Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/hcpa/article/view/8576

Edição

Seção

Artigos Originais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)