Avaliação de marcadores sorológicos treponêmicos e não-treponêmicos em doadores inaptos para sífilis atendidos em um hemocentro brasileiro

Autores

  • João Marcos de Oliveira Macêdo Programa de Residência Multiprofissional em Hematologia e Hemoterapia, Centro de Ciências Biológicas e da Saúde, Universidade do Estado do Pará (UEPA). Belém, PA, Brasil. http://orcid.org/0000-0002-9563-6073
  • Camila Fonseca Barroso Programa de Residência Multiprofissional em Hematologia e Hemoterapia, Centro de Ciências Biológicas e da Saúde, Universidade do Estado do Pará (UEPA). Belém, PA, Brasil.
  • Line Alves Monteiro Programa de Residência Multiprofissional em Hematologia e Hemoterapia, Centro de Ciências Biológicas e da Saúde, Universidade do Estado do Pará (UEPA). Belém, PA, Brasil.
  • Laiane Nazaré Silva Nascimento Programa de Residência Multiprofissional em Hematologia e Hemoterapia, Centro de Ciências Biológicas e da Saúde, Universidade do Estado do Pará (UEPA). Belém, PA, Brasil.
  • Letícia Caroline da Cruz Paula Programa de Residência Multiprofissional em Hematologia e Hemoterapia, Centro de Ciências Biológicas e da Saúde, Universidade do Estado do Pará (UEPA). Belém, PA, Brasil.
  • Renata Bezerra Hermes de Castro Núcleo de Ensino e Pesquisa (NEPES), Fundação Centro de Hemoterapia e Hematologia do Pará (HEMOPA). Belém, PA, Brasil.

Palavras-chave:

Sífilis, doadores de sangue, seleção do doador, testes laboratoriais, segurança do sangue, hemoterapia

Resumo

RESUMO

Introdução: A sífilis é uma doença infecciosa sistêmica de evolução crônica, causada pela bactéria Treponema pallidum, que pode ser transmitida por transfusões de sangue. A avaliação dos marcadores sorológicos na triagem para sífilis em doadores de sangue é fundamental para confirmar se o sangue doado pode estar contaminado com T. pallidum ou se há descarte por reações inespecíficas.  O objetivo deste trabalho foi descrever os resultados obtidos em testes sorológicos não-treponêmicos e treponêmicos e o perfil sociodemográfico dos doadores de sangue em um hemocentro brasileiro. Métodos: A população foi composta por doadores de sangue atendidos em todas as unidades do Hemopa, que atenderam aos critérios do estudo. Houve análise dos resultados obtidos através do VDRL e ELISA e informações socioeconômicas sobre a população: sexo, idade, escolaridade e estado civil, obtidos a partir do registro de doadores. Resultados: Durante o período do estudo, houve 103.187 doações de sangue. Um total de 883 doadores foram considerados inaptos para sífilis no teste de triagem (0,86%) e 271 pessoas (30,69%) compareceram ao hemocentro para realização de testes confirmatórios: 50,6% homens; 49,4% mulheres; idade média de 34 anos. Mais da metade declarou ter ensino médio completo e a maioria (75,6%) relatou ser solteiro. Mais de 50% dos doadores apresentaram titulação menor que 1/16; 91,5% também apresentou reatividade em ELISA. 15 pessoas (5,5%) apresentaram outro resultado reagente além da sífilis. Conclusão: Houve mais de 90% de resultados concordantes entre teste treponêmico e não-treponêmico em nossa triagem laboratorial. Esses resultados podem auxiliar instituições na estratégia de triagem para sífilis em doadores de sangue.

Palavras-chave: Sífilis; doadores de sangue; seleção do doador; testes laboratoriais; segurança do sangue; hemoterapia

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2020-03-25

Como Citar

1.
Macêdo JM de O, Barroso CF, Monteiro LA, Nascimento LNS, Paula LC da C, Hermes de Castro RB. Avaliação de marcadores sorológicos treponêmicos e não-treponêmicos em doadores inaptos para sífilis atendidos em um hemocentro brasileiro. Clin Biomed Res [Internet]. 25º de março de 2020 [citado 1º de dezembro de 2022];39(4). Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/hcpa/article/view/90701

Edição

Seção

Artigos Originais