Interações simbióticas entre Escherichia coli e seres humanos: a instabilidade de uma relação

Fábio de Assis Pinto, Cleide Rosa Dias, Mateus Ramos, Simon Luke Elliot

Abstract


Relações simbióticas são interações altamente instáveis. Uma série de fatores pode alterar drasticamente o perfil de uma relação, causando prejuízos ou benefícios ao hospedeiro. Essas mudanças estão intimamente ligadas ao custo/benefício por trás dessas interações. Tais fatos nos levam a questionar quais são as possíveis condições que favorecem o comportamento parasitário, comensal ou mutualista? E em que condições cada estratégia tornam-se mais vantajosas para o simbionte? A bactéria Escherichia coli é um exemplo de simbionte que pode apresentar as três estratégias em único hospedeiro, causando desde graves infecções a benefícios defensivos e nutricionais. Nesse contexto, discutiremos nesse trabalho as características da relação simbiótica entre essa bactéria e o ser humano, demonstrando sua complexidade, abordando os possíveis fatores que atuam como determinantes no perfil da relação e as vantagens e desvantagens de cada estratégia.

Keywords


Simbiose; parasitismo; mutualismo; comensalismo; patógeno; hospedeiro



Copyright (c)



ISSN: 2357-9730 

http://seer.ufrgs.br/hcpa/

   

  

 

Apoio Financeiro:

  

 

Licença Creative Commons
The Clinical & Biomedical Research is licenced under Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.