Mecanismos específicos de patogenicidade de protozoários de mucosa: Entamoeba histolytica, Giardia lamblia e Trichomonas vaginalis

Autores

  • Patrícia de Brum Vieira Universidade Federal do Rio Grande do Sul, RS
  • Clara Lia Costa Brandelli Universidade Federal do Rio Grande do Sul, RS
  • Carolina De Marco Veríssimo Universidade Federal do Rio Grande do Sul, RS
  • Tiana Tasca Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Palavras-chave:

Patogenicidade, mucosa, Entamoeba histolytica, Giardia lamblia, Trichomonas vaginalis

Resumo

Entamoeba histolytica e Giardia lamblia são protozoários que podem parasitar a mucosa intestinal, causando principalmente diarreia. Trichomonas vaginalis coloniza a mucosa vaginal causando tricomonose, a doença sexualmente transmissível não viral mais comum no mundo. Embora coletivamente estes parasitos infectem mais de um bilhão de pessoas a cada ano, seus mecanismos de patogenicidade ainda não estão totalmente esclarecidos. Assim, esta revisão reúne os principais mecanismos envolvidos na patogenicidade destes protozoários, bem como os fatores do microambiente que podem interferir no sucesso da colonização. A patogênese da E. histolytica envolve adesão, lise, fagocitose de células epiteliais e bactérias, invasão tecidual por ação de enzimas e evasão da resposta imune do hospedeiro. A lectina Gal/GalNAc, os amebaporos e as cisteína proteases são as principais moléculas envolvidas nesses processos. O estabelecimento da giardiose depende de diversos mecanismos patogênicos e de virulência desenvolvidos pela G. lamblia, tais como as moléculas envolvidas na adesão, encistamento e variação antigênica. Para o sucesso da colonização da mucosa vaginal, o T. vaginalis expressa moléculas como as adesinas de superfície, lipofosfoglicanos e galectina, envolvidas na adesão às células epiteliais vaginais e alteração da expressão gênica, tanto do parasito como do hospedeiro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Patrícia de Brum Vieira, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, RS

UFRGS, Faculdade de Farmácia, Departamento de Análises e Programa de Pós-Graduação em Ciências Farmacêuticas. Área: Parasitologia Clínica, Protozoologia.

Clara Lia Costa Brandelli, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, RS

Programa de Pós-Graduação em Ciências Farmacêuticas, Faculdade de Farmácia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Área: Parasitologia Clínica, Protozoologia.

Carolina De Marco Veríssimo, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, RS

Programa de Pós-Graduação em Microbiologia Agrícola e do Ambiente, Instituto de Ciências Básicas da Saúde, Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Área: Parasitologia.

Tiana Tasca, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

UFRGS, Faculdade de Farmácia, Departamento de Análises e Programa de Pós-Graduação em Ciências Farmacêuticas. Área: Parasitologia Clínica, Protozoologia.

Downloads

Publicado

2012-04-27

Como Citar

1.
Vieira P de B, Brandelli CLC, Veríssimo CDM, Tasca T. Mecanismos específicos de patogenicidade de protozoários de mucosa: Entamoeba histolytica, Giardia lamblia e Trichomonas vaginalis. Clin Biomed Res [Internet]. 27º de abril de 2012 [citado 5º de outubro de 2022];32(1). Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/hcpa/article/view/22570

Edição

Seção

Artigos de Revisão