Experiências de ensinar/aprender em Artes Visuais no contexto do estágio curricular: cenários de incertezas na formação de professores

Autores

  • Ana Del Tabor Vasconcelos Magalhães Universidade Federal do Pará — UFPA, Belém/PA, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.22456/2357-9854.83233

Palavras-chave:

Artes Visuais, Ensino/Aprendizagem, Formação de Professores, Estágio Curricular

Resumo

O texto aborda reflexões sobre as experiências de ensino/aprendizagem desenvolvidas no processo de formação de professores no curso de Licenciatura em Artes Visuais no contexto do estágio curricular. Objetiva ampliar as discussões e debates sobre a temática em um cenário de incertezas da política educacional para a área estabelecendo diálogos com os autores que discutem o assunto. A metodologia é qualitativa descritiva e utilizou-se dos resultados da pesquisa de tese de doutorado, defendida em 2019, centrada nas experiências de ensinar/aprender Artes Visuais no contexto do estágio curricular do curso de Licenciatura em Artes Visuais da UFPA. As contribuições dos autores que discutem a temática e as manifestações expressas pelos discentes/estagiários nos relatórios de estágio curricular, são assuntos aqui abordados. Considera-se que a formação de professores necessita de ações pontuais para ressignificar o ensino/aprendizagem em todas as etapas da Educação Básica e que o estágio curricular é um dos campos de investigação que oferece aos discentes/estagiários as possibilidades de refletir criticamente e propor novas formas de ensinar/aprender no processo de construção da identidade profissional docente com constantes estudos, pesquisas e indagações.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Del Tabor Vasconcelos Magalhães, Universidade Federal do Pará — UFPA, Belém/PA, Brasil

Docente Associada da Universidade Federal do Pará (Licenciatura em Artes Visuais e Pós-Graduação-ProfArtes). Doutora em Artes pela Escola de Belas Artes da Universidade Federal de Minas Gerais (EBA/UFMG). Integrante dos Grupos de Pesquisas Ensino de Arte e Tecnologias Contemporâneas/UFMG- (CNPq) e Arte, Memórias e Acervos na Amazônia/UFPA-(CNPq). Representante Estadual da Federação de Arte/Educadores do Brasil-FAEB (2022-2023).

Referências

BARBOSA, Ana Mae. As mutações do conceito e da prática. In: BARBOSA, Ana Mae. (org.). Inquietações e mudanças no ensino da arte. São Paulo: Cortez, 2012. p.13-27.

BARBOSA, Ana Mae; CUNHA, F. Pereira da. (org.). Abordagem Triangular no ensino das artes e culturas visuais. São Paulo: Cortez, 2010.

BARBOSA, Ana Mae. Tópicos utópicos. Belo Horizonte: C/Arte, 1998.

BELLO, Lucimar. Arte e seu ensino, uma questão, várias questões. In: BARBOSA, Ana Mãe (org.). Inquietações e mudanças no ensino da arte. São Paulo: Cortez, 2003. p.35-47.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular. Fundamentos pedagógicos e estrutura geral da BNCC. Versão final incluindo o Ensino Médio. Brasília. 2018. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518versaofinal_site.pdf2018. Acesso em: 28 ago. 2022.

BRASIL, Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: Arte / Secretaria de Educação Fundamental. – Brasília: MEC / SEF, 1998.

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/ leis/L9394.htm>. Acesso em: 16 jul. 2022.

BRASIL. Lei nº 13.278, de 02 de mai. 2016. Altera o § 6o do art. 26 da Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que fixa as diretrizes e bases da educação nacional, referente ao ensino da arte. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2017/lei/l13415.htm>. Acesso em: 22 jul. 2022.

BRASIL. Lei nº 13.415, de 16 de fevereiro de 2017. Altera a Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, no tocante ao ensino da arte. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2017/lei/l13415.htm>. Acesso em: 22 jul. 2022.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão. Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica. Conselho Nacional da Educação. Câmara Nacional de Educação Básica. Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais da Educação Básica. Diretoria de Currículos e Educação Integral. Brasília: MEC, SEB, DICEI, 2013.

FERRAZ, Heloisa Correia de Toledo; FUSARI, Maria Felisminda de Resende. Metodologia do ensino de Arte. 2 ed. rev. e ampl. São Paulo: Cortez, 2009.

KRAMER, Sonia. Propostas pedagógicas ou curriculares: subsídios para uma leitura crítica. Educação & Sociedade, v. 18, n. 60, p. 15-35, dez.1997. https://doi.org/10.1590/S0101-73301997000300002. Acesso em: 22 jul. 2022.

LIMA, Maria Socorro Lucena; COSTA, Elisangela André da Silva A formação do professor para o trabalho em educação de jovens e adultos: lições do estágio curricular supervisionado. In: ALMEIDA, Maria Isabel de; PIMENTA, Sonia Garrido. (org.). Estágios supervisionados na formação docente: educação básica e educação de jovens e adultos. São Paulo: Cortez, 2014. p.41-64.

MAGALHÃES, Ana Del Tabor V. Políticas de formação docente em artes: impactos da Base Nacional Comum Curricular. In: LIMA, Sidiney Peterson Ferreira de; AUGUSTOWSKY, Gabriela. Instantes-já da formação docente em Artes. São Paulo: Terracota, 2019b. p.130-141 (ISBN: 978-85-8380-091-0)

MAGALHÃES, Ana Del Tabor Vasconcelos. Experiências de ensinar/aprender artes visuais [manuscrito]: o estágio curricular como campo de investigação na formação inicial docente. Belo Horizonte: Escola de Belas Artes, 2019. Tese (Doutorado em Artes) – Programa de Pós-Graduação em Artes. Escola de Belas Artes, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2019. 193 p. Disponível em: http://hdl.handle.net/1843/33444. Acesso em: 12 nov. 2021.

NÓVOA, Antonio. O professor pesquisador e reflexivo. TVE Brasil, um salto para o futuro, 2001. Entrevista em: http://www.tvebrasil.com.br/salto. Disponível em: https://ledum.ufc.br/arquivos/didatica/3/Professor_Pesquisador_Reflexivo.pdf. Acesso em: 12 nov. 2021.

PERRENOUD, Philippe. Dez novas competências para ensinar. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 2000.

PIMENTEL, Lucia Gouvêa. Fruir, contextualizar e experimentar como possível estratégia básica para investigação e possibilidade de diversidade no ensino de arte: o contemporâneo de vinte anos. In: BARBOSA, Ana Mae; CUNHA, Fernanda Pereira da. (org.). Abordagem Triangular no ensino das artes e culturas visuais. São Paulo: Cortez, 2010b. p.211-228.

PIMENTEL, Lucia Gouvêa. Ensino/aprendizagem de arte e sua pesquisa. In: ROCHA, Maurilio A. et al. Fronteiras e alteridade: olhares sobre as artes na contemporaneidade. Belém: PPGARTES, 2014. p.15-24.

PIMENTEL, Lucia Gouvêa. Práticas artísticas e práticas pedagógicas: praticar o quê, pra quê? Revista Digital do LAV, Santa Maria: UFSM, v. 11, n. 2, p. 342-348, mai./ago. 2018. https://doi.org/10.5902/1983734833428. Acesso em: 12 nov. 2021.

ROSSI, Maria Helena Wagner; MAGALHÃES, Ana Del Tabor Vasconcelos. Ensino de artes visuais e políticas públicas educacionais. Revista GEARTE, Porto Alegre, v. 5, n. 2, p. 192-198, maio/ago. 2018. Disponível em: https://doi.org/10.22456/2357-9854.86353. Acesso em 20 mai. 2022.

SAVIANI, Dermeval. Formação de professores: aspectos históricos e teóricos do problema no contexto brasileiro. Revista Brasileira de Educação, v. 14 n. 40, p. 143-155, jan./abr. 2009. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1413-24782009000100012 Acesso em: 15 ago. 2022.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ. Faculdade de Educação. Relatório de Estágio em Ensino de Artes Visuais. Belém, 2012, 2013, 2014, 2015.

Downloads

Publicado

2022-10-16

Como Citar

MAGALHÃES, A. D. T. V. Experiências de ensinar/aprender em Artes Visuais no contexto do estágio curricular: cenários de incertezas na formação de professores. Revista GEARTE, [S. l.], v. 9, 2022. DOI: 10.22456/2357-9854.83233. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/gearte/article/view/83233. Acesso em: 1 fev. 2023.

Edição

Seção

Dossiê: Ensino de Artes Visuais e formação de professores