Formação docente e literatura de cordel em oficinas didático-investigativas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22456/2357-9854.117515

Palavras-chave:

Teacher training. Cordel literature. Classes-workshops.

Resumo

O texto reflete sobre formação inicial docente com enfoque numa ação didático-investigativa no curso de Pedagogia envolvendo literatura de cordel no âmbito da realização do componente curricular Arte-educação por meio de aulas-oficinas. Objetiva, com isso, analisar as potencialidades do cordel nesta formação ao mobilizar saberes sobre patrimônio cultural imaterial brasileiro, estrutura de um poema de cordel e produção coletiva deste gênero poético. Com base em autores de referência ao tema e também em observações e análises das discussões e experimentações feitas nas aulas-oficinas, compomos as reflexões presentes nestes escritos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Cristina de Moraes, Universidade Estadual do Ceará — UECE, Fortaleza/CE

Professora Adjunta dos Programas de Pós-Graduação em Educação Mestrado Acadêmico Intercampi em Educação da Universidade Estadual do Ceará. Graduada em Arte-educação e em Serviço Social. Mestre em Educação pela Universidade Federal do Ceará. Doutora em Educação pela Universidade Estadual de Campinas. Pós-doutora em Educação na Universidade Federal do Ceará. Líder do Grupo de Pesquisa: Investigações em Arte, Ensino e História.

Referências

AMORIM, Verussi Melo de; CASTANHO, M. Eugênia. Por uma educação estética na formação universitária de docentes. Revista Educação e Sociedade, Campinas, v. 29, n. 105, p. 1167-1184, set./dez. 2008.

BARBOSA, Ana Mae. Arte-educação: conflitos e acertos. São Paulo: Editora Max Limonad, 1985.

BARBOSA, Ana Mae. Inquietações e mudanças no ensino da arte. São Paulo: Cortez, 2003.

BARBOSA, Ana Mae (Org.). Arte-educação: leitura no subsolo. São Paulo: Cortez, 2008.

BARROSO, Oswald. Ceará mestiço. Fortaleza: Expressão Gráfica e Editora, 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília, DF: Ministério da Educação, 1996.

BRASIL Resolução CNE/CP. Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Graduação em Pedagogia, Brasília, DF: Ministério da Educação, 2006.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Resolução CNE/CP. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação inicial em Nível Superior (cursos de licenciatura, cursos de formação pedagógica para graduados e cursos de segunda graduação) e Para a Formação Continuada, Brasília, DF: Ministério da Educação, 2015.

CARVALHO, Gilmar. A xilogravura de Juazeiro do Norte. Fortaleza: IPHAN, 2014.

DUARTE JÚNIOR, João-Francisco. Fundamentos estéticos da educação. 4. ed. Campinas: Papirus, 1995.

DUARTE JÚNIOR, João-Francisco. A montanha e o videogame: escritos sobre educação. Campinas: Papirus, 2010.

DUARTE JÚNIOR, João-Francisco. Por que arte-educação? 22. ed. Campinas: Papirus, 2011.

FAZENDA, Ivani Catarina Arantes (Org.). A pesquisa em educação e as transformações do conhecimento. Campinas: Papirus, 1995.

FLICK, Uwe. Introdução à pesquisa qualitativa. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2009.

MARINHO, Ana Cristina; PINHEIRO, Helder. O cordel no cotidiano escolar. São Paulo: Cortez, 2012.

MORAES, Ana Cristina. Arte-educação como disciplina: experimentos formativos com estudantes do curso de Pedagogia da UECE/FACEDI. Revista ECCOS, São Paulo, n. 33, p. 43-60, jan./abr. 2014.

MORAES, Ana Cristina. Educação Estética na Universidade: Antropofagias e Repertórios Artístico-culturais de Estudantes. Curitiba: CRV; Fortaleza: EdUece, 2016.

MORAES, Ana Cristina; MOURA, Andrea Sales Braga. Possibilidades estético-pedagógicas por meio do Fanzine e do Cordel. Revista Dialogia, São Paulo, n. 31, p. 197-206, jan./abr. 2019.

MORAES, Ana Cristina. Educação estética e cultura numa peleja medonha com descasos de governantes. Folheto de Cordel. Fortaleza: Rouxinol do Rinaré Edições, 2019a.

MORAES, Ana Cristina. Culturas juvenis e redes sociais: retratos de um povo arretado. Folheto de Cordel. Fortaleza: Rouxinol do Rinaré Edições, 2019b.

PAVIANI, Neires M.; FONTANA, Neura M. Oficinas pedagógicas: relato de uma experiência. Revista Conjectura: filosofia e educação. Caxias do Sul, v. 14, n. 2, p. 77-88, maio/ago. 2009. Disponível em: http://www.ucs.br/etc/revistas/index.php/conjectura/article/view/16. Acesso em: 16 abr. 2021.

READ, Herbert. A educação pela arte. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

SCHILLER, Friedrich. Cultura estética e liberdade. São Paulo: Hedra, 2009.

SCHILLER, Friedrich. A educação estética do homem. São Paulo: EPU, 2011.

SUASSUNA, Ariano. Iniciação à estética. 4. ed. Recife: Editora Universitária da UFPE, 1996.

SUASSUNA, Ariano. Almanaque armorial. 2. ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 2008.

TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis-RJ: Vozes, 2007.

THERRIEN, Jacques; MAMEDE, Maíra; LOIOLA, Francisco. Trabalho docente e transformação pedagógica da matéria: alguns elementos da gestão dos conteúdos no contexto da sala de aula. In: MAGALHÃES, Rita de Cássia Barbosa Paiva et. al. Formação e práticas docentes. Fortaleza: EdUECE. 2007. p. 121-138.

VIANA, Arievaldo. Acorda cordel na sala de aula: a literatura popular como ferramenta auxiliar na educação. 2. ed. Fortaleza: Gráfica Encaixe, 2010.

ZEICHNER, Kenneth. Uma análise crítica sobre a “reflexão” como conceito estruturante na formação docente. Educação e Sociedade, v. 29, n. 103, p. 535-554, maio/ago. 2008.

Downloads

Publicado

2021-08-08

Como Citar

MORAES, A. C. de. Formação docente e literatura de cordel em oficinas didático-investigativas. Revista GEARTE, [S. l.], v. 8, n. 2, 2021. DOI: 10.22456/2357-9854.117515. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/gearte/article/view/117515. Acesso em: 5 dez. 2022.

Edição

Seção

Arte na Pedagogia: processos educativos de poetizar, fruir e conhecer arte