A arte e a cultura afro-brasileira como descentramento sensorial na Pedagogia

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22456/2357-9854.117510

Palavras-chave:

Pedagogia. Arte e cultura afro-brasileira. Ensino de Arte. Percepção.

Resumo

O artigo discute como a disciplina Arte e Cultura Afro-Brasileira, oferecida no curso de Pedagogia da UFJF, pode desencadear processos significativos que ajudem as/os estudantes a construir novos conhecimentos sobre a arte e o seu ensino. Para isso divide o texto em quatro eixos: 1. A cidade como disparadora de memórias, saberes e experiências; 2. Explorando novos Territórios Educativos; 3. Experiências estéticas-pedagógicas; 4. Processos compartilhados de criação. Aponta que partir de diálogos interdisciplinares e da cultura afro-brasileira pode-se ampliar os atravessamentos sensoriais e perceptivos à que as/os estudantes da Pedagogia são expostas, provocando aquilo que Le Breton (2016) chama de “descentramento sensorial”. Uma maneira de desapegar-se das familiaridades perceptivas para recapturar outras maneiras de “sentir a multidão dos mundos que se escoram no mundo”.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Francione Oliveira Carvalho, Universidade Federal de Juiz de Fora — UFJF Juiz de Fora/MG

Professor nas Licenciaturas de Artes Visuais e Pedagogia da Universidade Federal de Juiz de Fora/MG. Graduação em Artes Cênicas e em Artes Visuais. Mestre e Doutor em Educação, Arte e História da cultura pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Pós-doutorado em História na Universidade de São Paulo. Líder do MIRADA – Grupo de Estudos e pesquisa sobre Visualidades, Interculturalidade e Formação Docente, UFJF.

Referências

BARBOSA, Ana Mae. Tópicos Utópicos. Belo Horizonte: C/Arte, 1998.

BRASIL. Lei nº 10.639, de 09 de janeiro de 2003. Altera a Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Brasília: Presidência da República, [2003]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/2003/L10.639.htm. Acesso em: 18 mar. 2020.

BRASIL. Lei nº 11.645 de 10 de março de 2008. Altera a Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Brasília, DF: Presidência da República, [2008]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2008/Lei/L11645.htm. Acesso em: 18 mar. 2020.

CARVALHO, Francione Oliveira; TEODORO, Thalita de Cassia Reis. Apartado – Sala 23: Memórias, afetos e corporeidade negra na formação de professores. Revista COCAR, Belém, n. 4, p. 73-92, 2017. Edição especial. Disponível em: . Acesso em: 18 mar. 2020.

DEWEY, John. Arte como experiência. São Paulo: Martins Fontes, 2010.

ELEMENTOS. [S. l.: Maré e Gogóia], 2017. 1 vídeo (5 min). Publicado pelo canal Assunção. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=K2RuTicgliM>. Acesso em: 18/03/2020.

FERRAZ, Maria Heloísa Correa de Toledo; FUSARI, Maria Felisminda de Rezende. Metodologia do Ensino de Arte: fundamentos e proposições. São Paulo: Cortez, 2009.

FRIEDMANN, Adriana. Brincar, crescer e aprender: o resgate do jogo infantil. São Paulo: Moderna, 1996.

LE BRETON, David. Antropologia dos sentidos. Petrópolis: Vozes, 2016.

MARTINS, Mirian Celeste; PICOSQUE, Gisa. Mediação cultural para andarilhos na cultura. São Paulo: Intermeios, 2012.

OLIVEIRA, Julvan Moreira de. Africanidades e educação: ancestralidade, identidade e oralidade no pensamento de Kabengele Munanga. São Paulo: Universidade de São Paulo, 2010. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2010. DOI 10.11606/T.48.2010.tde-20042010-153811. Disponível em: <https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/48/48134/tde-20042010-153811/pt-br.php>. Acesso em: 18 mar. 2020.

SILVA, Joyce Gonçalves da. Corporeidade e Identidade, o corpo negro como espaço de significação. In: CONGRESSO INTERNACIONAL INTERDISCIPLINAR EM SOCIAIS E HUMANIDADES. 2014, Salvador. Anais [do] III Congresso Internacional Interdisciplinar em Sociais e Humanidades. Salvador: ANINTER/SH, 2014. ISSN 2316-266X, v. 17, n. 3, p. 263-275. Disponível em: <https://www.academia.edu/36341891/CORPOREIDADE_E_IDENTIDADE_O_CORPO_NE

GRO_COMO_ESPA%C3%87O_DE_SIGNIFICA%C3%87%C3%83O> Acesso em: 18 mar. 2020.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA. Edital Programa Territórios Educativos da Graduação nº 1, de 17 de junho de 2020. [Seleção de propostas de visitas técnicas, trabalhos de campo, viagens formativas no âmbito dos cursos de graduação no programa Territórios Educativos da Graduação]. Juiz de Fora: Pró-reitoria de Graduação, 2020.

Downloads

Publicado

2021-08-08

Como Citar

CARVALHO, F. O. A arte e a cultura afro-brasileira como descentramento sensorial na Pedagogia. Revista GEARTE, [S. l.], v. 8, n. 2, 2021. DOI: 10.22456/2357-9854.117510. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/gearte/article/view/117510. Acesso em: 7 dez. 2022.

Edição

Seção

Arte na Pedagogia: processos educativos de poetizar, fruir e conhecer arte