Ações de Formação em EJA nas Prisões: o que pensam os professores do sistema prisional do Ceará?

Autores

  • Wagner Bandeira Andriola Universidade Federal do Ceará

Palavras-chave:

Educação de Jovens e Adultos (EJA). Educação Prisional. Formação de Professores.

Resumo

O texto relata as principais ações de Educação de Jovens e Adultos (EJA) que são desenvolvidas com profissionais do Sistema Prisional do Ceará. Atualmente, no Brasil são desenvolvidas tão somente duas ações de formação de professores do Sistema Prisional, no nível de especialização, uma delas executada no Ceará. Cabe destacar outras ações desenvolvidas no Ceará: formação de 220 agentes prisionais;análise de dados secundários da PNAD/2007 – Suplemento de EJA; financiamento de projetos de pesquisa pelo CNPq; formação de novos pesquisadores no nível de mestrado; articulação da Universidade Federal do Ceará (UFC) com o Ministério da Educação, com a Escola de Gestão Penitenciária e Ressocialização e com a Secretaria de Justiça e Cidadania.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Wagner Bandeira Andriola, Universidade Federal do Ceará

Professor Associado da Faculdade de Educação da Universidade Federal do Ceará (UFC) em Fortaleza/Ceará. Doutor em Filosofia e Ciências da Educação (Universidad Complutense de Madrid); Membro da Associação Brasileira de Avaliação Educacional (ABAVE); Coordenador do Curso de Especialização em EJA nas Prisões para Professores do Sistema Prisional do Ceará. Pesquisador do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). País: Brasil – Fortaleza/ Ceará.

Publicado

2013-03-18

Como Citar

Bandeira Andriola, W. (2013). Ações de Formação em EJA nas Prisões: o que pensam os professores do sistema prisional do Ceará?. Educação &Amp; Realidade, 38(1). Recuperado de https://seer.ufrgs.br/index.php/educacaoerealidade/article/view/30710

Edição

Seção

Educação em Prisões