Comportamento de modelos adaptativos de conforto térmico frente ao modelo de Fanger em intensivistas adaptados ao clima tropical

Autores

  • Elamara Marama Araujo Vieira Universidade Federal da Paraíba
  • Jonhatan Magno Norte da Silva Universidade Federal de Santa Catarina
  • Wilza Karla dos Santos Leite Universidade Federal da Paraíba
  • Manoel Gerônimo Lino Torres Universidade Federal da Paraíba
  • Luiz Bueno da Silva Universidade Federal da Paraíba

Palavras-chave:

Modelos adaptativos, PMV, Climas quentes e úmidos, Unidades de terapia intensiva.

Resumo

Objetivou-se investigar o comportamento de modelos adaptativos de conforto térmico (PMVay e PMVak) em relação ao modelo clássico de Fanger (PMV) para predição da real sensação térmica nos profissionais intensivistas adaptados ao clima tropical, procurando identificar o limite de concordância entre tais métodos. As amostras foram coletadas em nove unidades de terapia intensiva (UTIs) públicas da cidade de João Pessoa/Paraíba/Brasil e as estimações obtidas pelos modelos foram confrontadas através da aplicação da análise de concordância entre métodos de Bland-Altman. Os testes identificaram que dentre os métodos selecionados o que apresentou menor viés para estimações da real sensação foi o PMV clássico se comparado aos modelos adaptativos indicados para indivíduos aclimatados a regiões quentes e úmidas características de climas tropicais. Entretanto, a amplitude do viés foi dependente da faixa de estimação, ou seja, à medida que as estimações se mantiveram entre valores de -1,5 e 0,2 o viés tendeu a ser minimizado. A análise de concordância mútua entre os testes mostrou que o PMV e o PMVak são equivalentes quando suas estimações se situam entre -0,5 e 0,5, o que indica que o fator de ponderação para adaptabilidade proposto pelo modelo PMVak não foi o suficiente para prever a aclimatação na amostra considerada.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2017-12-20

Como Citar

Vieira, E. M. A., Silva, J. M. N. da, Leite, W. K. dos S., Torres, M. G. L., & Silva, L. B. da. (2017). Comportamento de modelos adaptativos de conforto térmico frente ao modelo de Fanger em intensivistas adaptados ao clima tropical. Ambiente Construído, 18(1), 479–490. Recuperado de https://seer.ufrgs.br/index.php/ambienteconstruido/article/view/65239

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)