Impacto de dispositivos de sombreamento na distribuição de pressão em um modelo genérico

Autores

  • Michele Marta Rossi Universidade Federal do Piauí/ professora substituta
  • Karin Maria Soares Chvatal Instituto de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (IAU-USP)/ Professora e Presidente da Comissão de Pesquisa.
  • Alessandra Rodrigues Prata-Shimomura Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAU-USP) / Professora e coordenadora da Comissão de Coordenação do Curso de Arquitetura e Urbanismo.
  • Fernando Vítor Marques da Silva Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC)/ Investigador auxiliar

Palavras-chave:

Ventilação natural, coeficiente de pressão (Cp), túnel de vento, dispositivos de sombreamento.

Resumo

A ventilação natural é uma importante estratégia passiva para manutenção da qualidade do ar e do conforto térmico em espaços internos. O diferencial de pressão nas fachadas das edificações, quantificado a partir dos coeficientes de pressão (Cps), impacta diretamente no desempenho da ventilação natural. Fatores como direção do vento, entorno, tipo de terreno, geometria da edificação e detalhamentos nas fachadas influenciam a distribuição de pressão. Muitas investigações utilizam-se de ensaios em túneis de vento ou simulações fluidodinâmicas para avaliar os Cps em geometrias lisas e regulares. Neste artigo, objetiva-se avaliar o impacto de dispositivos de sombreamento externos nos Cps em um modelo genérico isolado de 3,0 m x 3,0 m x 2,7 m com duas aberturas (de 1 m2 cada uma) centralizadas e dispostas em faces opostas a 1,1 m do piso. Assim, a partir de sua versão reduzida (escala 1:7,5), cinco configurações (sem dispositivos, modelo selado e com aberturas e tipologias com sombreamentos horizontal, combinados e verticais) foram ensaiadas em túnel de vento para oito incidências de vento (de 0° a 90° e 180°). Os resultados indicaram maiores discrepâncias nos Cps nas tipologias com componentes verticais expostas às incidências de 45°, 60° e 75°.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Michele Marta Rossi, Universidade Federal do Piauí/ professora substituta

Professora substituta no Departamento de Construção Civil e Arquitetura do Centro de Tecnologia (CT-DCCA) da Universidade Federal do Piauí (UFPI).

Karin Maria Soares Chvatal, Instituto de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (IAU-USP)/ Professora e Presidente da Comissão de Pesquisa.

Professora e presidente da comissão de pesquisa no Instituto de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (IAU-USP) - Laboratório de Conforto Ambiental.

Alessandra Rodrigues Prata-Shimomura, Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAU-USP) / Professora e coordenadora da Comissão de Coordenação do Curso de Arquitetura e Urbanismo.

Professora e coordenadora da Comissão de Coordenação do Curso de Arquitetura e Urbanismo da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAU-USP) - Departamento de Tecnologia da Arquitetura - Laboratório de Conforto Ambiental e Eficiência Energética

Fernando Vítor Marques da Silva, Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC)/ Investigador auxiliar

Investigador auxiliar no Núcleo de Engenharia Sísmica e Dinâmica de Estruturas do Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC)

Downloads

Publicado

2022-09-12

Edição

Seção

Edição especial ENCAC