Políticas de Preservação Digital

o caso do Brasil em relação à Colômbia e Austrália

Autores

DOI:

https://doi.org/10.19132/1808-5245283.117999

Palavras-chave:

Preservação digital, Política de preservação digital, Plano de preservação digital, Critérios para a elaboração de políticas de preservação digital

Resumo

O artigo tem como objetivo discutir sobre políticas de preservação digital para documentos arquivísticos digitais: o que são, critérios para sua elaboração, níveis para uma política de preservação digital e seu contexto nos Repositórios Arquivísticos Digitais Confiáveis, analisando a estrutura da política de preservação digital do Arquivo Nacional do Brasil com as políticas do Arquivo Geral da Nação da Colômbia e do Arquivo Nacional da Austrália. A metodologia adotada foi a da pesquisa exploratória, bibliográfica e documental. O artigo traz como resultados os principais elementos das políticas de preservação dos Arquivos Nacionais do Brasil, Colômbia e Austrália, bem como uma comparação da política do Brasil com as políticas da Colômbia e da Austrália. Concluímos que a política colombiana é muito mais compacta, provavelmente por estar associada a um documento muito mais amplo que apresenta aspectos da preservação digital, ações, estratégias e técnicas de preservação digital e ações de nível cultural para assegurar a preservação digital. Em relação à política australiana, observou-se que ela se mostrou mais completa que a política brasileira, abordando todos os seus aspectos, e trazendo dois itens a mais: Pesquisa e Colaboração; Habilidades e Treinamento, não contemplados na política brasileira.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Tânia Barbosa Salles Gava, Universidade Federal do Espírito Santo

Docente do Departamento de Arquivologia  da Universidade Federal do Espírito Santo e Pós-Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação (PPGCI) da UFF. Membro do Grupo de Pesquisa CNPq UFF Ged/A - Documentos Digitais: Gestão, Curadoria Digital, Preservação, Acesso e Transparência Ativa em Cadeia de Custódia Digital Arquivística (CCDA) e do Grupo de Pesquisa da UFES – Observatório da Informação Arquivística Digital. Atua nas áreas de pesquisa relacionadas à Preservação Digital e Repositórios Arquivísticos Digitais Confiáveis.

Daniel Flores, Universidade Federal Fluminense

Prof. Daniel Flores é docente do Curso de Arquivologia e do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação - PPGCI UFF. Líder do Grupo de Pesquisa CNPq UFF Ged/A - Documentos Digitais: Gestão, Curadoria Digital, Preservação, Acesso e Transparência Ativa em Cadeia de Custódia Digital Arquivística (CCDA). Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq da Chamada 06/2019.

Downloads

Publicado

2022-08-04

Como Citar

GAVA, T. B. S.; FLORES, D. Políticas de Preservação Digital: o caso do Brasil em relação à Colômbia e Austrália. Em Questão, Porto Alegre, v. 28, n. 3, p. 117999, 2022. DOI: 10.19132/1808-5245283.117999. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/EmQuestao/article/view/117999. Acesso em: 26 nov. 2022.

Edição

Seção

Artigos