CONTABILIDADE DE ATIVOS CULTURAIS: UM ESTUDO COMPARATIVO ENTRE MUSEUS DO BRASIL E DE OUTROS PAÍSES

Autores

  • Rodrigo Strassburger UFRGS
  • Ângela Rozane Leal de Souza UFRGS
  • Ariel Behr UFRGS

Palavras-chave:

Ativos culturais, Reconhecimento, Mensuração, Evidenciação contábil.

Resumo

Ativos culturais são bens com características únicas cujos procedimentos de contabilização geram muitas dúvidas nos profissionais contábeis. Assim, este estudo tem o objetivo de identificar as diferenças e as semelhanças nas práticas contábeis adotadas na contabilização de ativos culturais em museus de três países diferentes, apresentando possíveis justificativas para que as variáveis identificadas estejam apresentadas da forma em que se encontram, bem como os eventuais impactos da evidenciação de tais variáveis na interpretação da situação patrimonial do museu pelos usuários das demonstrações financeiras analisadas. O método utilizado para analisar os procedimentos de contabilização dos ativos culturais foi a análise comparativa das demonstrações financeiras do Museu Britânico (Reino Unido), do Museu de Artes Modernas de Nova Iorque (Estados Unidos) e do Museu de Artes de São Paulo (Brasil). Foram identificadas e analisadas variáveis nas seguintes dimensões: reconhecimento, mensuração e evidenciação de ativos culturais. Os resultados apontam para informações mais completas e em maior quantidade acerca de seus ativos culturais por parte do Museu Britânico, enquanto as informações do Museu de Artes Modernas de Nova Iorque dependem de maior discricionariedade de seus administradores. Já as informações sobre o acervo do Museu de Artes de São Paulo foram disponibilizadas em menor número e, algumas vezes, de forma ambígua. Portanto, este estudo contribui com a literatura relacionada aos heritage assets, trazendo luz à discussão quanto à mensuração desses ativos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rodrigo Strassburger, UFRGS

Graduando em Ciências Contábeis pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Ângela Rozane Leal de Souza, UFRGS

Graduação e Mestrado em Ciências Contábeis, Professora do Departamento de Ciências Contábeis e Atuariais da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFGRS), Faculdade de Ciências Econômicas no Depto. de Ciências Contábeis e Atuariais na graduação em Ciências Contábeis.

Ariel Behr, UFRGS

Graduação em Ciências Contábeis e Mestrado em administração pela UFRGS. Professor do Departamento de Ciências Contábeis e Atuariais da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFGRS),  UFRGS.  Faculdade de Ciências Econômicas no Depto. de Ciências Contábeis e Atuariais - graduação em Ciências Contábeis.

Downloads

Publicado

2015-02-05

Edição

Seção

Artigos