Existir é Ordinário: mapas de resistências nos currículos e na docência

Autores

  • Alexandra Garcia professora adjunta da Universidade do Estado do Rio de Janeiro; Doutora em Educação pelo Proped/UERJ. Rio de Janeiro - BrasiL http://orcid.org/0000-0001-8285-471X
  • Allan de Carvalho Rodrigues Professor da Universidade Federal Fluminense e da Universidade Estácio de Sá. Doutorando em Educação - PROPED-UERJ.

Palavras-chave:

Cotidianos. Currículos. Práticas docentes.

Resumo

Diante das palavras docência, currículo e escola hoje, o verbo resistir soa como premissa incontornável às possibilidades de formas sociais mais justas, democráticas e solidárias. Partindo de resultados de pesquisas quanto à produção dos currículos e à formação docente, buscamos, através de narrativas docentes, mapear movimentos de resistência do público e do comum em práticas cotidianas. Argumentamos que as formas de resistência não se produzem, necessariamente, como respostas às lógicas hegemônicas e às pautas de redução da vida aos interesses econômicos. Resistir, no diálogo que estabelecemos com autores do campo da filosofia, das novas epistemologias e dos estudos do cotidiano, implica na produção comum e cotidiana das formas de existir.

 

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alexandra Garcia, professora adjunta da Universidade do Estado do Rio de Janeiro; Doutora em Educação pelo Proped/UERJ. Rio de Janeiro - BrasiL

Alexandra Garcia é doutora em Educação pelo Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) e professora adjunta da mesma universidade.

Allan de Carvalho Rodrigues, Professor da Universidade Federal Fluminense e da Universidade Estácio de Sá. Doutorando em Educação - PROPED-UERJ.

Allan de Carvalho Rodrigues é doutorando em Educação pelo Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), bolsista de Apoio Técnico (CNPq) e professor na Universidade Estácio de Sá. 

Publicado

2019-10-04

Como Citar

Garcia, A., & Rodrigues, A. de C. (2019). Existir é Ordinário: mapas de resistências nos currículos e na docência. Educação &Amp; Realidade, 44(3). Recuperado de https://seer.ufrgs.br/index.php/educacaoerealidade/article/view/84915

Edição

Seção

Resistências e (Re)Existências em Espaços Sociais de Formação em Tempos de Neo-conservadorismo